sábado, 12 de março de 2011

REGIÃO SERRANA/RJ - O QUE DE CONCRETO FOI FEITO.


Hoje faz 2 meses da tragédia na região serrana do Rio de Janeiro - saldo até o momento: 905 pessoas mortas e 349 desaparecidos. Não é algo agradável de se lembrar, mas precisamos estar atentos a alguns pontos, a saber:
Gostaria de saber como as Prefeituras das localidades afetadas pelas chuvas de janeiro/2011 explicam o sentido geral da população, de que o trabalho de reconstrução caminha a passos de cágado ?
Esse ar de normalidade é ilusório, e os caras vão para a TV com promessas, falando que está tudo bem, quando na verdade não está.
Por que o Ministro da Defesa, Nelson Jobim permitiu que as forças armadas deixassem a região serrana a mercê de tais políticos ?
Quem mora na região afetada e se dá o trabalho de percorrer estas localidades, pensa que a tragédia ocorreu há dois dias, pois os sintomas são muito visíveis: casas cobertas de lama, carros retorcidos para todos os lados, ruas interrompidas,restos de enchente para todos os lados, gente sem moradia e sem ter o que comer pedindo um copo de café, um prato de comida, um agasalho ...
Quanto foi liberado de fato para a região serrana do Rio ? O discurso nos veículos de comunicação é perfeito, mas repito: o que vejo aqui são pessoas perdidas sem seus trabalhos, sem moradia, sem qualquer perspectiva de recomeço.
Outro ponto, sem as licitações (devido ao estado de calamidade pública), as contratações viram o samba do crioulo doido . Será que a verba está sendo administrada com a devida seriedade? 
Eu sei que muitas questões não serão resolvidas, mas o abandono, o já é passado, isso a população não pode deixar acontecer. Temos que cobrar, temos que fiscalizar, ficar atentos as jogatinas partidárias mesmo porque, no final das contas, eles passam e nós ficamos.


Parênteses: Todas as vezes que percorro essas localidades para ver o que efetivamente está sendo feito e o que posso ajudar, me vem em mente Santo Agostinho: "O homem põe, e Deus dispõe".
E o homem ainda acha que está no comando.
.........................


"Prazo para saque de FGTS a vítimas das chuvas no Rio termina na quarta (16/03)", diz a manchete.


Quem será que conseguiu sacar esse tal FGTS? Sim, porque as exigências da Caixa Econômica eram enormes, só posso crer para dificultar a retirada.

Não deu nem tempo dos tais malditos laudos feitos pela Defesa Civil ficarem prontos, já que tudo ainda se encontra de pernas para o ar, e as Prefeitura não tem efetivo suficiente para já ter percorrido toda região e emitido os tais laudos para que a pessoas possam dar entrada e sacar o tal FGTS, o que também não o fazem na hora ( tem que agendar e depois marcar para 5 dias).

Coitado de quem não tem noção de seus direitos.

Entre o discurso e a realidade existe uma grande distância.

Não vou nem levantar a bandeira dos agricultores.

Aliás, estamos todos, moramos da serrana, sendo soterrados junto com os deslizamentos.

Outro ponto, quantos atingidos estão efetivamente recebendo aluguel social ?

O que é viver num abrigo ?
Para mim, viver em um abrigo é um estágio acima de estar em um presídio.
E quando se acaba de cumprir a pena no abrigo ?
Sim, porque em um presídio você tem um data para sair.



.................................


O capitalismo que praticamos aqui no Brasil, reserva um transporte de segunda categoria para os mutilados, idosos, crianças com doenças crônicas, deficientes e estudantes, onde as empresas de ônibus encontram respaldo em uma lei federal aprovada e em vigor. Eu gostaria de saber qual foi o parlamentar autor da lei que proíbe essa população do acesso ao ônibus de ar condicionado (tarifa A), os chamados "frescões".

A demora dos ônibus comuns, deixam essas pessoas horas e horas nos pontos de ônibus, embaixo do sol escaldante do Rio de Janeiro. 
Não é possível que o Governador, o Secretario transporte não tenham a percepção dessa canalhice. Eu não tenho conhecimento de nenhuma empresa que não tenha  enriquecido seu proprietário, ou que  tenha sido devolvida  porque dá prejuízo. Isso me lembra a sociedade que Hitler idealizava ( os fracos deviam ser eliminados). É esse o valor humano que professamos hoje em pleno século XXI ? 
A crueldade é tão grande a ponto de retirarem os convencionais da rua ( que tem a passagem mais barata) em troca dos  com ar condicionado, proibindo assim a entrada das gratuidades.     
O que se desconhece é que o passageiro que se sentir lesado, pode entrar com ação judicial porque os juízes estão dando ganho de causa para esses processos. Só que não é todo mundo tem  dinheiro e tempo para correr atrás de seu prejuízo. 
Imagina a situação de um deficiente ou de  um mutilado, embarcar naqueles quentões abarrotados, com sensação térmica de quase 50 graus em meio a enormes engarrafamentos. Quem fez essa lei e a turma que votou para a sua aprovação, certamente não tem suas mães enquadradas nessa situação.
É preciso entender que a autoridade pública tem que zelar pela população.

Para mim, isso é mais um ato de total desumanidade e absoluta canalhice.



Esse é o nosso Brasil!

5 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Silvana
Tomei a liberdade de postar esta tua matéria no facebook.
Gratidão

Mônica disse...

Silvana
Pois voce tem toda razão ainda mais com o que está acontecendo no Japão, ninguem da midia se preocupa com a nossa propria gente pauperrima que precisa de ajuda e que já deveria ter sido solucionada.
Mamae leu agora cedo que a Dilma vai em Uberaba pra ver uma chuva que aconteceu lá.
E depois?
com carinho
sua amiga Monica

Albuq disse...

Silvana eu adoro teus textos. Eles me fazem refletir e me inquietam porque é inacreditável como não se olha prá dentro, prá o que acontece ao nosso redor, como se vivêssimos num país justo.

Emoções disse...

O que mais tem nesse mundo são canalhas. Infelismente.
Fica na paz.

Leandro Ruiz disse...

Cara Silvana, e desde quando os "senhores" do poder tem um real interesse em ajudar de verdade?

Fique na paz e meu solidarismo para esta população!