sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

FELIZ ANO NOVO PARA TODOS !


DEIXO AQUI UM POEMA PARA COMPLETAR A SUA VIRADA DE ANO.

Agradeço a sua audiência em 2007 - espero tê-la no próximo ano.

- Leilão de jardim-

Quem me compra um jardim
com flores?
borboletas de muitas
cores,
lavadeiras e pas-
sarinhos,
ovos verdes e azuis
nos ninhos?
Quem me compra este ca-
racol?
Quem me compra um raio
de sol?
Um lagarto entre o muro
e a hera,
Uma estátua da Pri-
mavera?
Quem me compra este for-
migueiro?
E este sapo, que é jar-
dinheiro?
E a cigarra e a sua
canção?
E o grilinho dentro
do chão?

( Este é o meu leilão! )

- Cecília Meireles -

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

FAÇAM OS SEUS PEDIDOS ...




- DICAS E SIMPATIAS PARA ENTRAR O ANO DE BEM COM ELE -

Para comemorar a entrada de 2008, algumas dicas e cuidados são importantes para que possamos atrair tudo de bom para o ano que se inicia.

Estamos em tempo de gentileza, de receber visitas.
A primeira providência é fazer uma limpeza em nossa casa, retirar coisas que não queremos - abra espaço para as coisas novas que vão chegar. Decore sua casa com flores e não esqueça de perfumá-la com incensos bem cheirosos, de boa marca. Isso cria um ambiente leve e, consequentemente atrai boas energias.

Uma segunda coisa muito importante é fazer, em família, o balanço do ano que passou. Sente-se na sala em volta de uma mesa, acenda velas de cor azul ou branca, tantas quantas forem a quantidade das pessoas que vão participar deste experimento (vide foto acima) : deverão ser acesas uma de cada vez, individualmente, seguida de uma prece a gosto de quem está acendendo; e a medida que elas vão acabando, deverão ser substituídas. Bem, depois disso dá-se a palavra ao primeiro e no senttido horário cada um, na sua vez, faça o seu balanço, colocando para os demais membros o que concretizou durante o ano, o que não conseguiu e porque, e o que pretende no próximo ano. Isso faz com que a família fique , na medida em que os anos vão se passando, mais unida. Não tem tempo para terminar.
OPS ! Se não houver problemas com alergias, incensos também são bem-vindos.
Deve- se usar de sinceridade.
Antes de terminar o experimento, todos devem dar as mãos e fazerem uma prece pedindo PAZ para o Planeta.

Para a concentração, ainda em casa no dia 31/12 , prepare
um gostoso banho de alecrim , lavanda e hamamélis. Esse banho ajudará a aumentar sua confiança , concentração e diminuirá o cansaço. Dessa maneira, estará
usando a natureza para ficar mais alegre e feliz. E ficará com uma aparência melhor durante a noite.

De posse disso, coloque uma bela roupa, de preferência branca, ( para atrair PAZ), de acordo com as tradições africanas.
Se a intenção é atrair dinheiro, a roupa tem que ser amarela. E um grande amor, já sabe: cor-de-rosa.
Não esqueça de um bom perfume.
Ah, detalhe importantíssimo: coloque uma roupa íntima vermelha, se quiser
deixar os homens "enlouquecidos" em 2008.
Afinal de contas, não custa dar um empurrãozinho na sorte, não é mesmo ?

Mas cuidado, nada de roupas apertadas na virada do ano, pois sugerem um ano-novo com dificuldades.
Tô fora !

PARA QUEM VAI PASSAR EM CASA:

Para quem vai ficar em casa, uma boa dica é dar 3 pulinhos (pé direito) com uma taça de champagne na mão as doze badaladas. Depois de fazer o seu pedido, jogue o champagne para trás. Para ter sorte no amor, basta a meia noite cumprimentar uma pessoa do sexo oposto. Mas para quem está interessado em alguém deve escrever o nome do pretendido(a) sete vezes na sola do sapato esquerdo. Quando der meia-noite, bata sete vezes com esse pé no chão, repetindo sete vezes o nome da pessoa.
Arrume a mesa da ceia de réveillon com ramos de trigo. Não se esqueça da sopa de lentilhas. Ao badalar da meia-noite, coma três colheradas da sopa. A cada uma delas, mentalize um pedido: isso trará fortuna para o ano de 2008.

Dica importante:

Use um par de meias novas brancas, durante três dias, a partir do dia 28/12. No quarto dia, coloque ao Sol do meio-dia a meia do pé direito e, em seguida, atire-a longe, tomando cuidado para que não caia num lugar úmido. À meia-noite do dia 31/12, coloque ao luar a meia do pé esquerdo e repita o gesto, dizendo as seguintes palavras: "minhas meias foram longe. Não têm teia nem idade. Se se foram, porque se foram, virá a felicidade.
Assim seja."


PARA OS ADEPTOS DA PRAIA, NÃO ESQUEÇAM:

Cinco ou oito rosas brancas (números de Iemanjá e Oxum),
perfume de alfazema, fitas com as cores da harmonia (azul, amarelo, rosa, branco e verde), espelho, talco, sabonete e bijuterias. Forre uma cesta com papel celofane, amarre uma fita no cabo de uma flor e jogue um pouco de talco e de perfume por cima.
Depois, coloque o espelho,o sabonete e as bijuterias (atenção: estas feitas por você mesma, colocando nelas toda a força do seu pensamento pedindo PAZ para o Planeta ) dentro da cesta e leve para o mar.
Conte três ondas e, na quarta, ofereça a cesta à
Iemanjá e a Oxum.

Faça seu pedido, deixe a onda levar. Ah, só não pode voltar...

E depois é só correr para o abraço e brindar o novo ano que está chegando.

Você está pronta para entrar o ano de 2008 com o pé direito.

Pois é, esta receita me foi passada por minha bisavó por parte de mãe, quando eu tinha 12 anos. Guardei-a na memória com muito carinho e, assim que formei minha família, pus em prática rapidinho. E não é que deu certo? Garanto . É tiro e queda !
Basta você cumprir a receita tim-tim por tim-tim que as coisas boas vão começar a
acontecer.

Então, Boa Sorte !

E depois me conte o resultado...

Nos alimentos podemos encontrar:

Romã - fazer um talismã com as sementes atrai prosperidade e amor;
Damasco - comer damasco fortalece a energia sexual;

Melancia - comer essa fruta traz abundancia;
Morango - comer morango ajuda a encontrar um amor;
Uvas – coma 12 uvas para atrair prosperidade e amizade, uma para cada mês do ano;
Pêra - traz boa saúde,
Maçã - fortalece um casamento ou um relacionamento
Arroz - para ter vida longa
Lentilha - para ter dinheiro e fartura


PARA CONSEGUIR UM BOM EMPREGO:

No primeiro dia do ano, pegue uma maçã bem vermelha e finque nela três pregos. Em seguida, enterre-a no quintal ou num vaso fazendo a seguinte afirmação, com bastante fé: "estou enterrando o meu desemprego, a partir de hoje eu vou conseguir o trabalho que tanto preciso". Assim que conseguir o trabalho, desenterre a fruta, retire os pregos e jogue-a em água corrente.

PARA ATRAIR FARTURA:

Comer 3, 7 ou a quantidade de uvas correspondente ao seu número de sorte garante prosperidade e fartura de alimentos. Para garantir também dinheiro, guarde as sementes na carteira ou na bolsa, até a troca do próximo Ano-Novo.

Segundo uma tradição de origem árabe, uma boa recomendação para garantir fartura para o ano inteiro é comer nozes, avelãs, castanhas e tâmaras.

E para terminar o ano, façamos uma reflexão com o nosso poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade, onde ele diz:

"Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um individuo genial.
Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro
número e outra vontade de acreditar que daqui para frente... tudo vai ser diferente!".

EKO PORÃ ETÉ 2008 PARA TODOS!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

A origem dos orixás.







Um dia, em terras africanas dos povos iorubás, um mensageiro chamado Exú andava de aldeia em aldeia à procura de soluções para terríveis problemas que na ocasião afligiam a todos, tanto os homens como os orixás.
Conta o mito que Exú foi aconselhado a ouvir do povo todas as histórias que falassem dos dramas vividos pelos seres humanos, pelas próprias divindades, assim como por animais e outros seres que dividem a Terra com o homem. Exú deveria estar a tento também aos relatos sobre as providências tomadas e as oferendas feitas aos deuses para se chegar a um final feliz em cada desafio enfrentado.
Assim fez ele, reunindo um número incontável de histórias, o orixá mensageiro tinha diante de si todo o conhecimento necessário para o desvendamento dos mistérios sobre a origem e o governo do mundo dos homens e da natureza.
Conta-se também, que todo esse saber foi dado a um adivinho de nome Orunmilá, também chamado de Ifá, que o transmitiu aos seus seguidores, os sacerdotes do oráculo de Ifá, que são chamados de babalaôs ou pais do segredo.
Para os iorubás tradicionais, os orixás são deuses que receberam de Olodumarê ou Olorum, a incumbência de criar e governar o mundo, ficando cada um deles responsável por alguns aspectos da natureza e certas dimensões da vida.
Exú é o orixá sempre presente, pois o culto de cada um dos demais orixás depende de seu papel de mensageiro. Sem ele, orixás e humanos não podem se comunicar. Ogum governa o ferro, a metalurgia, a guerra. É o dono dos caminhos, da tecnologia e das oportunidades de realização pessoal. Oxossi e outros orixás caçadores, são donos da vegetação e da fauna, de tendo a chave da sobrevivência do homem através do trabalho. Nanã é a guardiã do saber ancestral e participa com outros orixás do panteão da Terra. Onilé, a Mãe da Terra, é a senhora do planeta em que vivemos . Oxumarê, o arco-íris, é o deus serpente que controla a chuva, a fertilidade da terra e, por conseguinte, a prosperidade propiciada pelas boas colheitas. Omulú ou Obaluaê é o senhor da peste, da varíola, da doença infecciosa, o conhecedor de seus segredos e de sua cura. Euá, orixá feminino das fontes, preside o solo sagrado onde repousam os mortos. Xangô é o dono do trovão, conhecedor dos caminhos do poder secular, governador da justiça. Iansã ou Oiá dirige o vento, as tempestades e a sensualidade feminina. É a senhora dos raios e soberana dos espíritos dos mortos, que encaminha para o outro mundo. Obá dirige a correnteza dos rios e da vida doméstica das mulheres, no contínuo fluxo cotidiano. Oxum preside o amor e a fertilidade, é dona do ouro e da vaidade e senhora das águas doces. Iemanjá, a senhora das grandes águas, mãe dos deuses, dos homens e dos peixes, é aquela que rege o equilíbrio emocional e a loucura.
Os gêmeos Ibejis, os orixás crianças, presidem a infância e a fraternidade, a duplicidade e o lado infantil dos adultos. Orunmilá ou Ifá é o conhecedor do destino dos homens, detém o saber do oráculo, que ensina como resolver toda sorte de problemas e aflição.
Ossaim é o conhecedor do poder mágico e curativo das folhas e sem sua ciência nenhum remédio mágico funciona. Oxalá encabeça o panteão da Criação, formado de orixás que criaram o mundo natural, a humanidade e o mundo social. Ele é o criador do homem, senhor absoluto do princípio da vida, da respiração, do ar. Oxaguiã é o criador da cultura material, inventor do pilão que prepara o alimento e é quem rege o conflito entre os povos.
Os iorubás acreditam que homens e mulheres descendem dos orixás, não tendo, pois, uma origem única e comum, como no cristianismo. Cada um herda do orixá de que provém suas marcas e características, propensões e desejos, tudo como está relatado nos mitos. Os orixás vivem em luta uns contra os outros, defendem seus governos e procuram ampliar seus domínios, valendo-se de todos os artifícios e artimanhas, da intriga dissimulada à guerra aberta e sangrenta, da conquista amorosa à traição. Os orixás alegram-se e sofrem, vencem e perdem, conquistam e são conquistados , amam e odeiam. Os humanos são apenas cópias esmaecidas dos orixás dos quais descendem.


Fonte: PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos Orixás. Cia das Letras. 2005


Somos seres livres, pensantes e como tal, temos o livre arbítrio de acreditar e seguir aquilo que mais nos convém ou nos identifica, mesmo porque cada ser humano é único e tem que ser respeitado em sua diversidade. Religião alguma não nos faz melhor ou pior que o outro, pelo contrário, o que traz o aprendizado é exatamente esta mistura de idéias, de crenças: temos a mesma origem e voltaremos todos ao pó.

Ao invés de brigar ou olhar preconceituosamente o nosso próximo por não professar as nossas mesmas crenças, devemos estar com as nossas energias voltadas para a realização de um mundo melhor, com menos violência. Afinal de contas, somos o produto daquilo que pensamos e temos como resultado aquilo que merecemos. E, diga-se de passagem, arranjar solução para a vida dos outros é muito fácil.

No fim de tudo você vai perceber que todas as religiões, seitas e crenças contam as suas histórias, cada qual com a beleza de sua cultura, destinando-se ao mesmo fim: explicar o mito da Criação e com a mesma mensagem final - o respeito ao próximo.

O que faz a diferença nesse meio, é a intenção que cada um tem ao interagir com esse ou aquele pensamento.


A Paz Profunda .'.

domingo, 16 de dezembro de 2007

Pássaros não foram criados para viverem presos, mas sim para voarem pela imensidão dos céus e fazerem seus ninhos nas verdes e frondosas árvores.





















































































































"O que mais odeio é ter pássaros engaiolados; sentimos prazer com eles, enquanto estão encerrados em prisão. Que justificativa há para dar-nos direito a forçar os instintos dos animais, a fim de agradar à nossa própria natureza?Ora, ser intelectual, ou diplomado, ou médico, é coisa pequenina; o importante é ser razoável, ser um homem bom. Quem gosta de pássaros deve plantar árvores, para que a casa fique rodeada de centenas de ramos umbrosos, sendo pátria e lar para passarinhos.Em geral, o gozo da vida vem de conceber o universo como um parque, e os rios e regatos como um tanque, de modo que todos os seres possam viver de acordo com sua natureza".


FONTE: Adaptado de "Cartas de Família" de Cheng Panchiao (1693-1765), filósofo chinês do século XVIII.


Che petei guyrá !


"Mesmo numa gaiola de ouro o passarinho preferirá voar".




sábado, 15 de dezembro de 2007

Cântico Xakriaba


"kãnkehé ui hemeretõn kusupishi

kãnkehé ui hemeretõn tacuraté

kãnkehé ui hemeretõn etiké

kãnkehé ui hemeretõn kome kané

ahiãntã kãnkehé akoãn

hey hey kãnkehé ahiãntã !"


Este cântico me foi enviado por Hãynbonikãn (na foto) um irmão da da etnia Xakriabá

localizada ao norte das Minas Gerais, num município chamado São João das Missões.

A função deste meu irmão Xakriabá na aldeia é de professor e vice-diretor da escola indigena

Bukimuju.

Neste maravilhoso cântico, eles agradecem a divindade Kãnkehé Tupã por todas as coisas que

dão a eles o poder de

serem fortes e lutadores.


OPS ! Ah, o Hãynbonikãn ( que significa pequeno bom guerreiro ) deixa um recadinho para

mim:


- "ha seu blog esta simplismente dapisidy=linnnnnduuuuuuu!!!!! "


Ñande Ramÿi toñohê nde akã ari ijaguyjé ha tomê'ê ndeve mbareté!
(Que o Nosso Criador e Senhor de todas as coisas derrame sobre a tua cabeça a sua graça e te dê fortaleza!)

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

MEU LUNÁRIO PERPÉTUO.


O Imperador Dom Pedro
tem uma filha bastarda
a quem quer tanto do bem
que ela ficou malcriada !
Queriam casar com ela
barões de capa e espada.
Ela, porém, orgulhosa,
a todos que recusava:
- Este é menino ! Este é velho !
Aquele lá, não tem barba !
O de cá, não tem bom pulso
pra manejar uma Espada !
Dom Pedro falou-se rindo:
- Inda serás castigada !
Não vás tu, de algum Vaqueiro,
terminar apaixonada !
E na fazenda do seu pai,
já no fim da madrugada,
um dia, numa janela,
a Infanta se debruçava .
Viu passar três moradores
que trabalhavam de enxada.
O mais garboso dos três
era o que mais trabalhava.
Tanto plantava algodão,
como do gado cuidava.
Vestia gibão de couro,
forte sapatos calçava.
N'aba do chapéu de couro,
fina prata se estrelava.
Pois logo desse vaqueiro,
a Infanta se apaixonava.
E o vaqueiro só cavando:
ói ele sabe o que cavava !
A Princesa chamou a velha
em que mais se confiava:
- Estás vendo aquele vaqueiro,
trabalhando ali, de enxada ?
Condes, Duques, Cavaleiros,
por nenhum eu o trocava !
Vai chamá-lo aqui, depressa,
e que ninguém saiba de nada !
A velha vai ao vaqueiro
que na terra trabalhava:
- Vem comigo, meu vaqueiro !
Por que esta vista baixa?
Levanta os olhos que vês
a Estrela da madrugada !
Entraram pelo portão,
que a porta estava fechada,
na camarinha da moça
o vaqueiro já chegava:
- Senhora o que é que me manda ?
Eu vim por vossa chamada !
-Quero saber se te atreves
a queimar minha Coivara !
- Atrever, me atrevo a tudo,
que um homem não se acovarda !
Dizei-me, porém, Senhora,
onde está vossa Coivara !
- É abaixo dos dois Montes,
na Fonte das minhas águas,
abaixo do Tabuleiro
e na Furna da Pintada,
na linha da Perseguida,
no corte da Desejada !
Passaram o dia folgando
o mais da noite passavam
e o vaqueiro socavando:
ele sabe o que cavava!
À meia noite a Princesa,
pediu tréguas, por cansada:
- Basta ! Basta, meu vaqueiro !
Queimaste mesmo a Coivara !
Não sei se por varas morro
ou com ela incendiada !
E assim, a filha do Rei
do orgulho foi castigada !

OPS ! Quer saber a história dessas fotos? Vai lá em postagens mais antigas...

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

DESPOJAMENTO

Eliminei o excesso de paisagem
simplifiquei toda decoração
retirei quadros flores ornamentos
apaguei velas copos guardanapos
e a música
bani a inutilidade do discurso
na mesa de madeira
nua
apenas dois pratos
brancos sem talheres
o banquete será a tua presença.
- Ivan Barroso -

ÑANDE MBARAETE ´I KATU (Canto Guarani )












"Ñande mbaraete´i katu

Pavê´i jupivegua´i

Nhamonhendu´i katu

Mborai javy´a awã

javy´a awã".

(Vamos, sim, nos fortalecer

Todos juntos

Vamos, sim, cantar nossos cantos

E sermos felizes

E sermos felizes).

“Aproxime-se mais...
Tente sentir do que um abraço é capaz...
Quando bem apertado, ele ampara tristezas,
sustenta lágrimas, combate incertezas!
Põe a nostalgia de lado.
É até capaz de amenizar o medo.
Se for cheio de ternura, ele guarda segredos
e jura cumplicidade.
Um abraço amigo de verdade divide alegrias
e se apraz em comemorações.
Abraços são pequenas orações de fé, de força e de energia.
Olhe para o lado, há sempre alguém querendo ser abraçado
e não tem coragem de dizer.
Enlace-o, o pior que pode acontecer
é ganhar de volta um sorriso de carinho.
Ou, quem sabe, uma palavra sincera.
Você vai descobrir que ninguém está sozinho...
E que a vida pode ser um eterno céu de Primavera”.

(Flora Figueiredo)

sexta-feira, 30 de novembro de 2007



"... e então aconteceu:do fundo de meu coração, eu queria aquela rosa pra mim. Eu queria, ah como eu queria. E não havia jeito de obtê-la.[...]no meio do meu silêncio e do silêncio da rosa, havia o meu desejo de possuí-la como coisa só minha. Eu queria poder pegar nela. Queria cheirá-la até sentir a vista escura de tanto perfume... ". -Clarice Lispector -

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

A origem dos índios Arara


"... Para eles, quando essa vida ainda não havia começado, existiam somente o céu e a água. Separando-os, uma pequena casca que recobria o céu e servia de assoalho a seus habitantes. Na casca do céu a vida era plena, pois havia de tudo para todos. A boa humanidade, protegida pela divindade Akuanduba, vivia conforme as coisas básicas da vida: acordar, comer, beber, namorar, dormir. Se alguém cometesse algum excesso, contrariando as normas, a divindade fazia soar uma pequena flauta, chamando a atenção de todos para que se comportassem de acordo com a boa ordem. Fora da casca do céu, existiam coisas ruins, seres atrozes e espíritos maléficos, contra os quais a boa humanidade estava protegida por Akuanduba. Houve um dia, no entanto, que ocorreu uma grande briga da qual participou muita gente. A divindade fez soar a flauta, mas a multidão teimosa não quis parar de brigar. Nessa confusão, a casca do céu se rompeu, lançando tudo e todos para longe, para dentro da água que envolvia a casca. Com a queda, todos perderam e todos os velhos e crianças morreram, restando apenas uns poucos homens e mulheres. Dos sobreviventes, alguns foram levados de volta ao céu por pássaros amazônicos, onde se transformaram em estrelas. Os que ficaram, foram abandonados pelos pássaros nos pedaços da casca do céu que caíram sobre as águas. Assim, surgiram os Araras que, para se manter afastados das águas, escolheram ocupar o interior da floresta. Até hoje, os Arara, habitantes do vale dos rios Iriri-Xingu, no Estado do Pará, assobiam chamando as araras quando as vêem voando em bandos por sobre a floresta. Quando pousam no alto das árvores, as araras, por sua vez, observam os índios e, ao notarem o quanto eles cresceram, desistem de levá-los de volta ao céu. Aqui já foram deixados outras vezes e aqui deverão permanecer. Os Arara, que antes viviam como estrelas, estão agora condenados a viver como gente, tendo que perseguir o alimento de cada dia em meio aos perigos que existem sobre o chão."
(Ieipari - Sacrifício e Vida Social Entre Os Índios Arara, Márnio Teixeira Pinto, Ed. UFPR, 1997)

quarta-feira, 21 de novembro de 2007


Tava Guasu Avá Kuera Tetã, Hoko'y, Paraná - Brasil pegua.

Charyi takua jara Ana ka'aguyguá

Ko mborai iporãveva amoguãhê ndeve ko'agã!

(Esta melodia mais linda Faço-lhe chegar nesta hora!)

Ko Mborai marãe'y oguãhê mihaguã nde cotyupe!

(Que esta melodia eterna chegue no fundo do teu coração)!

Ko A, Ã marãngatu yvoty kañymi!

(Esta semente, é a flor escondida do Espírito Divino!)

Ko A ningó nde Ana Ka'aguy!

(E esta Semente es TU, Ana Ka'aguy.)

Maitei horyveva ndeve ha nde pehengue kuera peguãrã!

(A mais alegre saudação e para ti e para todos os teus familiares!)

Nde mandu'a minte kena orerehé

(Lembra de de nós por favor)


- Tupã Ñembo'agueravyju Momaitei -
Bem, diante desta oração tão linda, desse cântico maravilhoso, eu não tenho nem palavras para agradecer tamanha gentileza de meu Tupã, meu querido irmão Momaitei.
Eu só tenho a dizer que vocês - povos nativos, no qual tenho em meu sangue com muito orgulho - estarão eternamente no meu coração, pois uma parte de mim pertence a vocês; parte esta que pretendo resgatar, tão logo possa .
Contem sempre com as minhas orações e com a minha força mental.
O meu espírito estará sempre com vocês : ele pertence aos povos da floresta.
Ñande Ramÿi toñohê nde akã ari ijaguyjé ha tomê'ê ndeve mbareté, meu irmão Tupã Momaitei !
XERO ERO AVYÚ HETÁ, meus irmãos !

segunda-feira, 19 de novembro de 2007




Quantas vezes nós pensamos em desistir, deixar de lado, o ideal e os sonhos;
Quantas vezes batemos em retirada, com o coração amargurado pela injustiça;
Quantas vezes sentimos o peso da responsabilidade, sem ter com quem dividir;
Quantas vezes sentimos solidão, mesmo cercado de pessoas;
Quantas vezes falamos, sem sermos notados; Quantas vezes lutamos por uma causa perdida;
Quantas vezes voltamos para casa com a sensação de derrota;
Quantas vezes aquela lágrima, teima em cair, justamente na hora em que precisamos parecer fortes;
Quantas vezes pedimos a Deus um pouco de força, um pouco de luz;
E a resposta vem, seja lá como for, um sorriso, um olhar cúmplice, um cartãozinho, um bilhete, um gesto de amor;
E a gente insiste; Insiste em prosseguir, em acreditar, em transformar, em dividir, em estar, em ser;
E Deus insiste em nos abençoar, em nos mostrar o caminho:Aquele mais difícil, mais complicado, mais bonito.
E a gente insiste em seguir, por que tem uma missão.........
SER FELIZ !!!

sábado, 17 de novembro de 2007

Uma história para contar.
















- A Catadora de Vidro -
Uma família de cinco pessoas estava passeando um dia na praia. As crianças estavam tomando banho de mar e fazendo castelos na areia, quando, ao longe, apareceu uma velhinha. Seu cabelo grisalho esvoaçava ao vento e suas roupas eram sujas e esfarrapadas. Resmungava qualquer coisa, enquanto apanhava coisas da praia e as colocava em um saco. Os pais chamaram as crianças e lhes disseram para ficar longe da velha. Quando esta passou, curvando-se de vez em quando para apanhar coisas, sorriu para a família, mas seu cumprimento não foi correspondido. Muitas semanas mais tarde, souberam que a velhinha dedicara a vida à cruzada de apanhar caquinhos de vidro da praia para que as crianças não cortassem os pés.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

COLCHA DE RETALHOS.

Você sabe corretamente os sinais de pontuação?
Então aprenda comigo.



"Use vírgulas para separar as experiências boas das más.
Reticências para quem lhe faltou em alguma situação.
Salpique exclamações na sua vida.
Abuse das interjeições de felicidade.
Faça uma revisão nos seus sonhos.
Tome decisões com letra maiúscula.
E coloque ponto final na tristeza."

quarta-feira, 14 de novembro de 2007




"O coração de quem nunca desistiu será sempre jovem".
Bem, eu continuo tentando - o simples parece ser tão difícil...
Aguyjevetepe, Ana Ka'aguy.

domingo, 4 de novembro de 2007

Thor, uma figuraça !



Já havia escrito sobre o Thor anteriormente, é só clicar em postagens mais antigas que você vai chegar até ele e saber a quem pertence essa figuraça e como eu os conheci. Mas esta semana eu quase "caí dura" quando fui visitar meus amigos: deram para o Thor um par de óculos escuros e me parece que ele comprou a idéia. Bem, pelo menos já tem um protetor para seus olhos nos dias de sol quente. Não é possível ... ou melhor, é possível. E ainda faz pose para a foto (rs).


Meus queridos amigos, fiquem com Nhander, Nhamandu, tupã Iporã ete aguyjevete.
XE AYVÚ !

Depois da morte, a vida continua.

















Estava em busca de imagens quando me deparei com esta.Segundo os
administradores do local, a árvore foi cortada porque estava atrapalhando a fiação e
não havia como podá-la, já que o próprio tronco estava esbarrando nos fios e
causando curtos. Segundo soube, já faz algum tempo que lhe foi tirada a vida, mesmo
assim ela insiste em continuar.
Salve Nhande Rú Uussú !

sábado, 3 de novembro de 2007






ESTATUTOS DO HOMEM


- Thiago de Mello -


artigo III

Fica decretado que, a partir deste instante,

haverá girassóis em todas as janelas,

que os girassóis terão direito

a abrir-se dentro da sombra;

e que as janelas devem permanecer,o dia inteiro,
abertas para o verde onde cresce a esperança.


artigo XII

Decreta-se que nada será obrigado

nem proibido,

tudo será permitido,

inclusive brincar com os rinocerontes

e caminhar pelas tardes

com uma imensa begônia na lapela.


Parágrafo único:

Só uma coisa fica proibida:

amar sem amor.


artigo final.

Fica proibido o uso da palavra liberdade,

a qual será suprimida dos dicionários

e do pântano enganoso das bocas.

A partir deste instante

a liberdade será algo vivo e transparente

como um fogo ou um rio,

e a sua morada será sempre

o coração do homem.
Santiago do Chile, abril de 1964

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Energizando... depois de um dia quase todo de trabalho, afinal de contas, eu mereço !





















"Todos nós estamos interligados, na verdade somos um só. Eu sou um com o porco-do-mato, com o caititu. Eu sou um com a árvore. Eu sou um contigo e com o esquimó que eu ainda não vi, mas está lá. Joga uma pedrinha no centro da lagoa, a vibração alcança toda a água da lagoa, criando raias que chegam até à margem, pequenas ondinhas. O sentimento que você sente eu posso ter gerado. Essa visão do todo é importante, para nos curarmos. Curando a nós, limpando nosso coração, sentindo a doença do outro, curamos a nós e curamos o outro também. É bem simples e bem profundo. Buscarmos o bem sempre, o perdão, buscar o verdadeiro amor. Isso que eu penso, trilhar o caminho da amizade pra um dia vivenciar o amor fraterno e universal. Se te fiz algum mal, sinto muito, me perdoe, te amo e sou grato à Divindade por quebrar todo fluxo de energia presa, para que a energia volte a fluir seguindo o seu curso original que vem de Nhanderú. Me queira bem que eu te quero bem também.
Saúde e paz.

Pea haê iporã katu".


-TEXTO ENVIADO PARA MIM, EM 30/10/2007, POR MEU IRMÃO RAMON GUARANI -

Que Nhander, Nhamandu, Tupã Iporã ete aguyjevete esteja sempre com você e todos os nossos irmãos da aldeia!
OPS! Lembrando que embora estivesse muito calor e o local além de belíssimo, convidativo, não devemos tomar banho de cachoeira para não poluiro rio, no máximo colocar o pezinho.