sábado, 20 de novembro de 2010

OGUM.

Ogum governa o ferro, a metalurgia, a guerra. É o dono dos caminhos, da tecnologia e das oportunidades de realização pessoal. 
Foi, num tempo arcaico, o orixá da agricultura, da caça e da pesca, atividades essenciais à vida dos antigos.

Para efeito de analogia, São Jorge.
.............................
Na Terra criada por Oxalá, em Ifé,  os orixás e os seres humanos trabalhavam e viviam em igualdade. Todos caçavam e plantavam usando frágeis instrumentos feitos de madeira, pedra ou metal mole. Por isso o trabalho exigia grande esforço.
Com o aumento da população de Ifé,  a comida andava escassa. Era necessário plantar uma área maior Os orixás então se reuniram para decidir como fariam para remover as árvores do terreno e aumentar a área da lavoura. Ossaim, o orixá da medicina, dispôs-se a ir primeiro e limpar o terreno. Mas seu facão era de metal mole e ele não foi bem sucedido.
Do mesmo modo que Ossaim, todos os outros orixás tentaram, um por um,  e fracassaram na tarefa de limpar o terreno para o plantio.
Ogum, que conhecia o segredo do ferro, não tinha dito nada até então. Quando todos os orixás tinham fracassado, Ogum pegou o seu facão, de ferro, foi até a mata e limpou o terreno. Os orixás, admirados,  perguntaram a Ogum de que material era feito tão resistente facão. Ogum respondeu que era de ferro, um segredo recebido de Orunmilá.
Os orixás invejavam Ogum pelos benefícios que o ferro trazia, não só à agricultura, como à caça e até mesmo á guerra. Por muito tempo os orixás importunaram Ogum para saber o segredo do ferro, mas ele mantinha o segredo só para si. Os orixás decidiram então oferecer-lhe o reinado em troca de que lhes ensinasse tudo sobre aquele metal tão resistente. Ogum aceitou a proposta.
Os humanos também vieram a Ogum pedir-lhe o conhecimento do ferro. Mas, apesar de Ogum ter aceitado o comando dos orixás, antes de mais nada ele era um caçador.
Certa ocasião, saiu para caçar e passou muitos dias fora numa difícil, temporada. Quando voltou da mata, estava sujo e maltrapilho. Os orixás não gostavam de ver seu líder naquele estado. Eles o desprezaram e decidiram destituí-lo do reinado. Ogum se decepcionou com os orixás, pois quando precisaram dele para o segredo da forja, eles o fizeram rei e agora diziam que não era digno de governá-los.
Então Ogum banhou-se, vestiu-se com folhas de palmeira desfiadas, pegou suas armas e partiu. Num lugar distante chamado Irê, construiu uma casa embaixo da árvore de acocô e lá permaneceu.
Os humanos que receberam de Ogum o segredo do ferro não o esqueceram.
Todo mês de dezembro, celebram a festa de Iudê-Ogum.
Caçadores, guerreiros, ferreiros e muitos outros fazem sacrifícios em memória de Ogum.
Ogum é o senhor do ferro para sempre.

(Fonte: Prandi, Reginaldo in Mitologia dos Orixás)

Desconheço a autoria da imagem publicada acima.
OGUM IEÉ, meu pai !

37 comentários:

jorge disse...

Bom dia Silvana!

Que bom estar neste teu cantinho. Aqui continua a respirar-se cultura. A cultura é a riqueza de um povo.
Um pequeno contributo: Ogum é o filho mais velho de Oduduá e Yemenjá, fundador de Ifé. Era um temível guerreiro, brigava sem cessar contra os reinos vizinhos.
O número 7 está associado a Ogum, ele é representado por 7 instrumentos: lança, espada, enxada, turquês, facão, ponta de flecha e enxó.
Bjis

Regina Rozenbaum disse...

Sil Amada
Poderoso demaissss!!!
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

PÔESIA DO MUNDO disse...

Venho lhe ofrecer o selinho do primeiro aniversàrio do Blog *Pôesia do Mundo*

Agradeço lhe todos belos momèntos de leitura que me prociona:
Os mèus melhores comprimèntos

Antònìo Manuel

António Ramos disse...

Obrigada Silvana, pelo magnifico texto, confesso que fiquei fascinado a ler, parabéns.

Barbara disse...

Meu Pai Ogum.
Reverencio.

Amapola disse...

Bom dia, Silvana.
Adorei a lenda.
Sempre gostei muito de Ogum, na imagem de São Jorge.

Um grande abraço.

Mônica disse...

Em Salvador fui em um museu que tem todas estas divindades.
A pessoa do meu lado sabia tudo sobre eles e me disse qual era o meu protetor, mas esqueci.
Com carinho Monica
Gostei da historia

Coisas da Gigi disse...

Se comentários, só um:
Que cavaleiro é aquele que vem cavalgando pelo seu azul
É seu Ogum Matinata ele é defensor do cruzeiro do Sul
êh êh êh
êh ê ah
ê ê ê Matinata pisa na Umbanda"

Maria Ribeiro disse...

SILVANA: não tenho palavras diferentes das que já usei, várias vezes, no sentido de te dizer o quanto me sinto maravilhada com estes teus contos ,ligados à existência do Homem, num sentido etnográfico e místico, aos olhos dos povos nativos .Onde entra o papel da Natureza na Criação, entra o meu amor por tudo o que eu não conheço e me vais ensinando. BELO!
BEIJOS DE
LUSIBERO

Anne Lieri disse...

Mais uma história muito interessante e que faz parte importante de nossa cultura!Linda essa do Ogum!Bjs,

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Dos citados o que eu mais me identifico é OGUM, guerreiro nato!

Abraços!

Mel Redi disse...

Olá Silvana! estou adorando! Muito obrigada1 Ab Mel

Lou a esquizoffrenica disse...

Passei para a minha lição diária sobre mitologia afro americana. Adoro, beijos.

Onda Encantada disse...

Sempre aprendendo por aqui :)
Obrigada por cada lição ;)

Grande Abraço

Dilberto L. Rosa disse...

E do jeito que te contaram, mais uma vez, soubeste transmiti-lo da melhor forma, parabéns! Mitologias são sempre fascinantes e a africana não fica atrás! Grande abraço!

manuel marques disse...

Excelente.

Beijos e bom fds.

Fernanda disse...

Olá amiga Silva,

Sempre se aprende com você...
É muito bom ler os seus textos, leitura apetecível, para mim sensacional.

Beijinhos

Dona Sra. Urtigão disse...

Não seicomo elogiar sem metornarrepetitiva, então não digo nada.
Bãodimaisss

Marcia disse...

Olá Silvana,
Que bom relembrar da cultura do meu povo.
Ogum é o guerreiro, destemido, é aquele que veio para ser o vencedor das grandes batalhas, o desbravador que busca a evolução.
Defensor dos desamparados, segundo a lenda, Ogum andava pelo mundo comprando a causa dos indefesos, sempre muito justo e benevolente. Ele era o ferreiro dos orixás, senhor das armas e dono das estradas. Irreverente, pois é um orixá valente, traz na espada tudo o que busca. Protetor dos policiais, ferreiros, escultores, caminhoneiros e todos os guerreiros.
O Santo correspondente na Igreja Católica é São Jorge.
Dizem que o dia de Sao Jorge é a quinta-feira e ele cuida das pessoas que nasceram neste dia, como eu.
Bem, desejo a você um belo fim de semana!

Luciana P. disse...

Oi,Silvana, que linda imagem de Ogum. Adoro esse sincretismo. A cultura religiosa é algo encantador. Adorei o seu post. Muito informativo!
Beijos!

Daniel Savio disse...

Basta um erro para te condenarem (ou pior ainda, não atender s expectativas ds outros)...

Fiquem com Deus, menina Silvana.
Um abraço.

Vitor Chuva disse...

Olá Silvana!

A bonita história do guerreiro Ogum
pode igualmente ser vista como um relato da evolução da humanidade em função das descobertas que ia fazendo.
E a descoberta do ferro foi um enorme passo neste sentido:Com ele tornou-se possível fazer o que antes não o era - tal como o desbaste da floresta - assim melhorando a qualidade de vida das populações.A evoluçaõ foi assim sendo feita, passo a passo, e esta é uma maneira de a descrever - de uma forma apelativa.

Beijinhos; bom fim de semana.
vitor

PROGRAMA EDUCATIVA NAS LETRAS! disse...

Olá, Silvana!

Parabéns pelo belo BLOG!
E obrigado pela visita virtual.

Tomamos a liberdade de indicar o seu BLOG em nossa lista dos BLOGS que indicamos. Ok?

Faço aqui também um convite: ouça o nosso programa pela internet, aos sábados e domingos. Basta clicar no link rádio ao vivo, no canto direto de nosso BLOG.

Super abraço!

Alexandre,
PROGRAMA EDUCATIVA NAS LETRAS.

Socorro Melo disse...

Olá Silvana!

Que lenda mais linda. É muito legal esse blog, é uma lição de cultura a cada novo dia. Bjos.

Socorro Melo

ana. disse...

Mais uma página de uma das lendas existentes.


Abs.

Silvia disse...

Em agradecimento pelo ótimos textos, deixei um selinho no meu blog
www.tudonovoquasenovo.blogspot.com
Abraço

Ana Isabel disse...

Todos os seus textos estão impregnados de melodia.

Obrigada pela partilha de tradições e lendas tão lindas e tão puras.


Um abraço


Ana Isabel

...Noêmia! disse...

Silvana, fico feliz por você gostar do meu blog!
Eu já sou sua seguidora há algum tempo, desde que conheci seu blog!
Adoro esse espaço!
Beijos e bom feriado!
Salve Jorge!
:o)

MEU DOCE AMOR disse...

Entidade,dono dos caminhos.Precisamos dessa força.

Beijinho doce

Convido a lerhttp://vemsonharcomigo.blogspot.com/

Gerana Damulakis disse...

Bonito, Silvana. A expressão "senhor do ferro" é de uma força incrível. Bjo.

Graça Carpes disse...

Salve Ogun!
Bjo

Dora Regina disse...

Silvana, sou sua seguidora mas não estou recebendo suas atualizações no meu blog, estou comentando através do Buzz.
Um grande abraço! Boa semana!

Luis disse...

Minha Querida Amiga Silvana,
Mais uma lenda muito bem contada por Si.
Um beijinho amigo.

Luis disse...

Minha Querida Amiga Silvana,
Mais uma bela lenda para nos deliciarmos.
Um beijinho amigo

Mônica disse...

Silvana
Gostyei de conhecer a história de Ogum
com carinho Monica

orvalho do ceu disse...

Olá, Silvana
Vc sempre indicando conhecimento às pessoas... parabéns,educadora!!!
Dê uma olhada no meu post de anteontem (Domingo), por gentileza:
Estou fazendo uma semana de reflexões com textos sobre o silêncio, acompanha,tá?
Saudações com votos de paz e alegria no início da nova semana.
Bjs

José María Souza Costa disse...

Silvana, muito bom dia. A imagem que abre o seu blog, é simplesmente esptacular. Fenomenal. estou lhe convidando a visitar o meu blog, e se possivel seguirmos juntos por eles.Estarei grato esperando por vc, lá.
Abraços de verdade