domingo, 31 de outubro de 2010

DOCE OU TRAVESSURA ?

 As comemorações do "Halloween" são mais comuns nos países anglo-saxônicos, em especial nos Estados Unidos. No Brasil, a confraternização do “Dia das Bruxas” vem se tornando cada vez mais conhecida e praticada pela sociedade.
 Entretanto, observamos que algumas pessoas torcem o nariz para tal  evento, por entender como uma manifestação distante da nossa cultura. No fim das contas, muito se diz a respeito, mas poucos são aqueles que examinam minuciosamente os significados e origens de tal festividade. 
O halloween no Brasil é chamado de "Dia das Bruxas". Sua celebração também acontece  no dia 31 de outubro, dia que antecede o dia dos finados. Acredita-se que  na passagem dessa noite, as almas saem de seus túmulos, e partem pelas ruas amedrontando todos aqueles que estão por perto.
O "halloween" infiltrou-se em nossa sociedade importada da globalização. Apesar de sua pequena influência, a festividade pode ser vista em escolas, cursos de inglês, clubes, casas noturnas e shoppings centers de várias cidades, mas não adquire força, embora todo esforço do comércio para que isso aconteça.
Muitos nacionalistas dão créditos a influência do imperialismo cultural americano, porém alguns brasileiros localizados em São Luiz do Paraitinga (cidade paulista), decretaram o dia 31 de outubro como o "dia oficial do Saci Pererê", em protesto a inclusão do "halloween". A maioria das manifestações critica a posição dos brasileiros em importar a cultura americana, já que o país tem grande diversidade cultural que não é aproveitada e comemorada. Apesar de todo o esforço da imprensa em destacar essa festividade norte-americana, a festa é, em sua grande maioria, comemorada pela elite e por pessoas que vivem apenas do que é estrangeiro. No Rio de Janeiro as manifestações são caracterizadas por placas espalhadas pela cidade opondo tal prática, e ainda em pedido ao retorno das considerações brasileiras, o de dar valor e importância as crenças nascidas no país.
Desde a Antiguidade, observamos que várias festividades populares eram cercadas pela valorização dos opostos. Um dos mais claros exemplos disso ocorre com o carnaval, festa popular que antecede toda a resignação da Quaresma. No caso do "halloween", desde muito tempo  a festividade acontece um dia antes da “festa de Todos os Santos” e, por isso, tem seu nome inspirado na expressão "All hallow's eve", que significa a “véspera de "Todos os Santos”.
Pelo fato do 1° de novembro estar cercado de um valor sagrado e extremamente positivo, os celtas -  antigo povo que habitava as Ilhas Britânicas -, acreditavam que o mundo seria ameaçado na véspera do evento pela ação de terríveis demônios e fantasmas. Dessa forma, o “halloween” nasce como uma preocupação simbólica, onde a festa cercada por figuras estranhas e bizarras, teria como  objetivo o de afastar as influências dos maus espíritos que ameaçariam suas colheitas. 
No processo de ocupação das terras européias, os povos pagãos trouxeram esta influência cultural em pleno processo de disseminação do cristianismo. Inicialmente, os cristãos celebravam  "Todos os Santos" no mês de maio. Contudo, por volta do século IX, a Igreja promoveu uma adaptação, e a festa sagrada  foi deslocada para o 1° de novembro. Por ter essa relação intrínseca ao mundo dos espíritos, o "halloween" foi logo associado a figura de bruxas e feiticeiras.
Na Idade Média, elas se tornaram ainda mais recorrentes, na medida em que a Inquisição perseguiu e matou várias pessoas com a desculpa de exercerem a bruxaria. Da mesma forma, os mortos também se tornaram comuns nesta celebração, por não mais pertencerem a essa mesma realidade etérea: acreditava-se que os espíritos das pessoas perseguidas e mortas pela Inquisição, um dia voltariam para se vingar.
Entre todos os desalmados, destaca-se a antiga "lenda de Stingy Jack". Segundo o mito irlandês, Jack teria convidado o diabo para beber com ele no dia do halloween. Após se fartarem em bebidas, o astuto Jack convenceu o capeta a se transformar em uma moeda para que a conta do bar fosse paga. Contudo, ao invés de saldar a dívida, Jack pregou a moeda em um crucifixo. Para se livrar da prisão, o diabo aceitou um acordo em que prometia nunca importunar Jack. Dessa forma, ele foi libertado, e como combinado, nunca mais importunou o homem. Entretanto, Jack quando morreu não foi aceito nas portas do céu por ter realizado um trato com o demônio. Ao descer para o inferno, também foi rejeitado pelo diabo por ter sido passado para trás. Vendo que Jack estava solitário e perdido, o demônio lhe entregou um nabo com carvão, que lhe serviu de lanterna.
Ao chegarem à América do Norte, os irlandeses trouxeram a festa do halloween para as Américas, e transformaram a lanterna de Jack em uma abóbora iluminada com feições humanas. Os disfarces e máscaras, seriam usados como uma forma de evitar que fossem reconhecidos pelos espíritos que vagam neste dia. 
Atualmente, nos Estados Unidos, as fantasias são utilizadas por crianças, que batem as portas exigindo guloseimas no lugar de alguma travessura contra o proprietário da casa. Já no Brasil, devido a incorporação de nossos costumes,  a festa assume outra roupagem.

19 comentários:

acácia rubra disse...

Aqui também se festeja penso que em grande parte devido ao ensino do inglês.

Há nas escolas um grande incremento a este festejo, aderindo a gente estudantil.

Beijo

Pelos caminhos da vida. disse...

Aqui sempre aprendo mais um pouco.

Saudades de vc amiga.

Bom domingo.

beijooo.

Gueixa disse...

Sempre é bom vir aqui.
Obrigada mais uma vez.
beijo

manuel marques disse...

Passei ,gostei e deixo um beijão de amizade.

Jorge disse...

Gostei de ler este post. Muito instrutivo!

mello.betty disse...

Querida Silvana, você fez referência aos Celtas, mas faltaram dados sobre o fato de serem pagãos ( moradores do campo) e reverenciarem à Mãe Natureza, e qu este dia na verdadeéra dedicado pas comemorações do final do ano agrícola deles( o Samhain- lê-se souên), etc...se o assuto lhe interessar procure ler sobre wicca, bruxaria, paganismo- tem uns sites/blogs super legais que tratam do assunto com seriedade e competência.
Este negócio de querer opor o Halloween ao Dia do saci ao meu ver não tem sentido - saci tem a ver com folclore e é comemorado em agosto e originalmente Halloween é uma festa religiosa muito antiga...O problema é que os americanos "deram uma deturpadinha na comemoração", e até uma certa forma ridicularizando e distanciando a comemoração de sua motivação 1ª, e criando mais uma uma "festinha comercial" que se transformou numa das maiores festas americanas ( e eles nem são de origem celta ou pagãos ou qualquer outra coisa próxima).
Grande beijo, Betty

Inspirações disse...

Olá Silvana!
Obrigada mais uma vez, pela partilha de informações. Este site é uma verdadeira fonte de conhecimentos, explicados de uma forma bem simples e sucinta.
Jinhos grandes
Paula

Viiii disse...

Olá Silvana! Muito bacana o post e interessante você tratar de como isso é visto aqui no Brasil, da mania de importar tudo que vem de fora e por vezes esquecer o que temos de bom por aqui. Particularmente gosto do dia das bruxas, sou curiosa a respeito dos celtas, enfim. Muito esclarecedor seu post, parabéns e um feliz dia das Bruxas! abraços

Daniel Savio disse...

Interessante, mas eu também estaria do lado que defendem o dia do Saci, contudo, é um dia para comemorar, brincar com as crianças e por ai vai...

Fique com Deus, menino Silvana Nunes.
Um abraço.

Luis disse...

Querida Amiga Silvana,
O seu post é muito completo e esclarece bem este Dia das Bruxas. Na realidade o comércio tem aproveitado todo este tipo de festejos para numa perspectiva consumista ir fazendo o seu negócio. É o preço da globalização!
Um bom fim-de-semana e um beijinho muito amigo.

Rosa Carioca disse...

Por este lado do Atlântico, também se faz alusão desse dia, nas escolas.
Pessoalmente, não concordo que o comemoremos. Afinal, não faz parte de nossas tradições. Enfim, mais uma motivação para o comércio.

Cacá disse...

Muito bom este artigo, Silvana. Eu não sou muito nacionalista, mas também acho que desperdiçamos demais as chances de valorizar nossas tradições culturais. Eu assino tv a cabo e como a esmagadora maioria da programação é americana, a sensação que se tem é de que o Brasil é feito a partir da perspectiva deles. Já se dizia isso com relação à importação de modelos. Começamos pelo europeu e depois pelos EUA. Era mais restrito à área econômica. Depois com a dominação, ficamos a reboque de tudo. Já temos crianças que preferem um bife de hamburguer na comida do que uma carne in natura. Abraços. Paz e bem.

Lília disse...

Muito legal Silvana, gosto muito do que leio aqui! BEIJOS

RUTE disse...

Oi Silvana,
descobri que a tradição de iluminar abóboras não pertence apenas ao folclore americano ou britanico.
Convido-a a ler o meu artigo sobre Halloween, tradição portuguesa e tradição brasileira.
Abraço além-mar.

Chica disse...

Linda e elucidativa postagem!um beijo,tudo de bom e lindo novembro!chica

Albuq disse...

Mais uma vez, aprendi muito! adorei!

lucidreira disse...

Gostamos de aprender mais um pouco, e seu poster é realmente esclarecedor.
Abraço

Toninhobira disse...

Nossa cultura nossa tradição.Bom de ler e saber que tem gente nesta linha.Parabens e meu abraço de paz.

(בן ברוך) Ben Baruch disse...

Querido Silvana, muita paz!
É sempre um prazer visitar seu espaço. Quando desejar faça-nos uma visita e não deixe de emitir seus comentários, pois serão importantes para a edificação de todos que nos acompanham.
Venho desejar a você um feliz Natal, pleno de alegria e felicidade com muita paz, harmonia, crescimento e realizações espirituais.
Sabemos que Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro como comemoramos, mas isso pouco importa. O que realmente importa é o seu significado: demonstração de um Deus amoroso que enviou Seu próprio Filho ao mundo para resgatar os perdidos, nós, eu e você.
Natal é tempo de renovação espiritual. Não fujamos ao nosso destino, mas a exemplo do Mestre, sigamos os Seus passos, amando a todos que nos cercam, compartilhando o que temos com os necessitados do corpo e da alma: uma palavra amiga e um gesto de carinho muitas vezes valem mais que um alimento para o corpo físico. Agindo assim o Natal terá efetivamente um valor mais importante que a entrega de presentes e as comemorações exteriores que uma grande parcela pensa ser o mais importante, marcará o inicio de uma nova caminhada com o Senhor.
Que possamos no ano se inicia prolongar esse sentimento de fraternidade e de amor ao próximo que tão de perto nos fala ao coração quando essa data tão significativa para a Cristandade se aproxima.
Que Deus te abençoe grandemente e a todos que procuram através do testemunho de vida e da mensagem do Cristo transformar esse mundo em um mundo melhor, onde as pessoas se amem e se entreguem ao Senhor.
Que ao final de 2011 possamos dizer: Valeu a pena seguir a Jesus e testemunhar do Seu amor.
Muita paz!
Ben Baruch