quarta-feira, 24 de março de 2010

O FASCÍNIO IRRESISTÍVEL DA MULHER: IARA.

Quantas Yaras - com I ou com Y- não existem por aí que sequer sabem a história que se esconde sob seu nome ? Em Tupi, Yara significa a "mãe das águas". Sua estória está ligada ao fascínio próprio da mulher.
A Iara é uma dos mitos mais conhecidos da região amazônica. É uma linda mulher morena, de cabelos negros e olhos castanhos.
Exerce grande fascínio nos homens, pois aqueles que a vêem banhar-se nos rios, não conseguem resistir aos seus encantos e se atiram nas águas. Os que assim o fazem, nem sempre voltam vivos. Os que por um milagre sobrevivem, voltam assombrados falando em castelos e cortes de encantados. É preciso muita reza e pajelança para tirá-lo do encantamento.
Alguns descrevem Iara como tendo uma cintilante estrela na testa, que funciona como chamariz que atrai e hipnotiza os homens.
Acredita-se também que ela tem forma de peixe na parte inferior, outros dizem que é apenas um vestido, ou uma espécie de saia, que ela veste por vaidade e para dar a ilusão de ser metade mulher, metade peixe. Em certos locais, dizem que Iara é um boto-fêmea.
Ela também encanta os homens só para levá-os para o fundo do rio. Em outros lugares dizem ser a própria cobra-grande.
Bem, se é mentira ou verdade, esta foto foi tirada por mim quando passeava de barco pelo rio Amazonas.

Eu juro que ela estava lá.

9 comentários:

Amapola disse...

Bom dia, Silvana.
É linda, essa lenda da Iara. Tudo que é belo, nos encanta.
Adoro filmes com sereias.

Um grande abraço.

Déia disse...

Ui...elas existem!

bj

Professor Zeluiz disse...

Olá, Silvana!
É muito bonito o seu blog. Tem a boniteza de que falava Freire, pois encanta ao mesmo tempo que ensina.
Temos muita coisa em comum: também sou botafogo e mangueirense.
Um grande abraço pra você.
Encontrar-nos-emos na próxima postagem.

•.¸¸.•*♥*•.¸¸.• Sanzinha •.¸¸.•*♥*•.¸¸.• disse...

Silvana,

Tá rolando uma blogagem coletiva e eu vim te convidar. Mais detalhes lá no Jardim. Não deixe de participar com a gente!

Beijão!

Professor Zeluiz disse...

Então, Silvana? Sou neto de professor, irmão de professoras (minhas quatro irmãs), marido e pai de professora. Está no DNA, eu acho!
Dou aulas no CIAP de Itaperuna (RJ), um colégio agrícola. Tenho um blog de trabalho com as turmas: http://quemlesabeescrever.blogspot.com/ e colocarei um link seu nele.
Será um prazer receber sua visita lá também.
Um grande abraço.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Gosto de quem escreve
como conversa.
Nestes casos a leitura se torna intima,
e a lenda se veste de cores, cheiros, palavras
e imaginações.
Lindo texto.
E o final então,
perfeito.


Que teu coração seja sempre casa de alegria.

Luis disse...

Querida Amiga Silvana,
A lenda da Yara é linda e faz-me lembrar os Lusíadas no seu Canto IX, onde as sereias hipnotizavam os marinheiros...
Pelos vistos há Yaras em todas as águas!
Gostei da sua descrição e fico esperando mais lendas!
Um beijinho amigo.

Amapola disse...

Passando para lhe desejar um bom dia.

Um grande abraço.

Dalva Maria Ferreira disse...

Na mitologia eslava, tem a rusalka, que é a ninfa dos rios e dos lagos. Tem a ópera Rusalka, de Antonin Dvorak, cuja ária "Song to the Moon" ou "Mesicku na nebi hubloken" é uma das músicas mais lindas que já ouvi. Dá uma olhadinha no youtube, lá tem.

Abração!