quinta-feira, 11 de março de 2010

O LAMENTO DO URUTAU.

O uratau é um pássaro solitário e de hábitos noturnos que dificilmente se deixa ver. Pousado na ponta de um galho seco, fitando a lua e estremecendo a calada da noite, emite seu canto tenebroso assemelhado a um lamento humano.
 Por este motivo, o povo também o chama de “mãe-da-lua”. Seu grito talvez seja o mais assustador de todos entre as aves.
- “Meu filho foi, foi, foi…” - interpreta o povo.
Por causa de seu grito, o uratau é muitas vezes associado a maus presságios, mas segundo a mitologia tupi-guarani, é uma ave benfazeja.

Segundo a lenda, uma moça guarani chamada Nheambiú, apaixonou-se profundamente por um bravo guerreiro tupi chamado Cuimbaé, que caíra prisioneiro dos guaranis. 
Nheambiú pediu a seus pais que consentissem o casamento com Cuimbaé. Todos os insistentes pedidos foram negados, com a alegação que os tupis eram inimigos mortais da nação guarani. Não podendo mais suportar o sofrimento, Nheambiú saiu da taba. 
O cacique mobilizou seus guerreiros na procura da filha e, após uma longa busca, a jovem índia foi encontrada no coração da floresta, paralisada e muda, tal qual uma estátua de pedra, sem dar nenhum tipo de sinal de vida. 
O feiticeiro da tribo alegou que Nheambiú perdera a fala para sempre, a não ser que uma grande dor a fizesse voltar a ser o que era antes. 
Então a jovem recebeu todos os tipos de notícias tristes, a morte de seus pais e amigos, mas ela não dava nenhum sinal. Até que o pajé falou “Cuimbaé acaba de ser morto”. 
No mesmo instante a moça, lamentando repetidas vezes, tomou vida e desapareceu dentro da mata. 
Todos que ali estavam transformaram-se em árvores secas, enquanto que Nheambiú tomou a forma do pássaro uratau e ficou voando, noite após noite, pelos galhos daquelas árvores amigas, chorando a perda de seu grande amor.

Eu conheço uma outra variação desta lenda, muito linda por sinal.

Saudações Florestais !

18 comentários:

Noêmia disse...

Eu sempre achei esta ave muito interessante!
E a lenda é muito bonita!

Fernanda disse...

Olá amiga Silvana,
Adorei a lenda e a forma como escreve.
Parabéns.

o Sempre Jovens tem um tema que precisa do apoio de todas nós mulheres, leia por favor e deixe o seu comentário.
o Texto está assinado por mim
Fernanda Ferreira.

Dulce disse...

Silvana

Vi la no Chega-junto o comentario que deixou para a Heli, perguntando sobre o template do blog. é fácil.
Veja na parte superior esquerda, no cantinho, que há um nome. Pois ele é o link para o site aonde você pode conseguir esses fundos. Tem muitos e de diferente padrões, você escolhe e copia o html para colocar no layout do seu blog
Esta tudo explicadinho, mas se precisar de ajuda, é só falar.
beijo

Anônimo disse...

Obrigada pela bela passagem em meu espaço...lindo o seu e quanta informação boa!
Parabéns!

Graça Pires disse...

Uma história lindíssima. Gostei de conhecer o uratau...
Beijos.

Anônimo disse...

Oi Silvana,

Lendas são ótimas interpretações da vida... Linda essa uma.

Beijos,
Ana Lúcia.

Rocio Rodi disse...

Oi Silvana!
Não conhecia a lenda indígena dessa benfazeja ave para eles, canto triste de um amor... Um pouco estranho por sinal, como ver que ela é benfazeja? Ganhou vida e todos viraram árvores secas, além de Cuimbaé que se foi... Vale a pena viver assim sem o amor?
Como estou com sintomas de dispnéia e hipotensão até acho engraçado ler a lenda. As mudanças climáticas mexem com a gente não é mesmo? Vai passar...
Cuidemos do Planeta, a nossa casa, a nossa Gaia-Mãe!

António Gallobar disse...

Uma bela história esta do uratau, que certamente deve ser perseguido por quem tem supertições e acha que o canto do passaro só pode trazer desgraças. Um belo texto parabens pelas imagens com que abre este belo blog, parabens gostei muito

Amapola disse...

Boa tarde, Silvana.
A ave é diferente...
A lenda fica ainda mais bonita, quando se trata de amor.

Beijos.

O Santo Forte disse...

Vc nunca faloud e São Jorge ou ja falou???

Sanzinha disse...

Que linda a lenda, Silvana!
Me emocionei, com direito a lágrimas nos olhos e tudo.
Que gostoso vir aqui e ler tudo isso.

Beijo grande!

Maria Bonfá disse...

oi querida passando rapidinho so para deixar um beijo.. estou com um a gripe fortee sem vontade..amanhã volto para ler..beijão

Anabela disse...

A lenda é muito linda,mas o passaro é tão feio que até assusta,eu fugia a sete pés se me encontrasse com ele,bjs

Viagens pelo Mundo disse...

Olá Silvana,
Que bonita esta lenda e a forma como a transmite prende o leitor. Silvana, já pensou compilar todas estas lendas num livro e publica-lo? Seria muito interessante pois na realidade está a reunir memórias tradicionais do seu povo, o que é fascinante. Merecia mesmo elevar este blog a livro. Acredito que seria um sucesso. Parabéns mais uma vez. Nunca é de mais repetir. Um bj, Cristina

Anônimo disse...

Silvana, não sei se sou boa, mas, estou te seguindo. rs
Verdadeiramente encantada com tudo aqui. Parabéns!
bjos

Ailce disse...

Achei super interessante a história deste pássaro.Vou utilizar várias de suas histórias lá no "Métodos e Atividades para o EJA" este ano.Volte lá no meu blog.Ficarei muito feliz.Abraços.

Daniel Savio disse...

Hah, conta =P

Mas este não é o passaro que fique com o pescoço esticadinho e parado parecendo um pedaço de pau?

Fique com Deus, menina Silvana.
Um abraço.

Anônimo disse...

Adoro esse pássaro ela e linda