segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

ORUNMILÁ - IFÁ.

Orunmilá ou Ifá é o conhecedor do destino dos homens, o que detém o saber do oráculo, o que ensina como resolver toda sorte  de problemas e aflição.
Os sacerdotes de Orunmilá na África, os babalaôs, sábios que usam seus mistérios para resolver problemas e curar pessoas, disputam com os sacerdotes de Ossaim a cura de todos os males que destrem a saúde.
..........................................

Naquele tempo não havia separação
entre o Céu e a Terra.
Foi quando Orunmilá teve oito filhos.
O primeiro foi o rei de Ará, Alará.
O segundo foi Ajeró, rei de Ijeró.
O filho caçula foi Olouó, rei da cidade de Ouó.
Havia paz e fartura na Terra.
Numa importante ocasião,
quando Orunmilá celebrava um ritual,
mandou chamar todos os seus filhos.
Vieram os sete primeiros filhos de Orunmilá.
Eles lhe prestaram homenagens,
ofereceram-lhe sacrifícios,
prostaram-se a seus pés batendo palmas,
prostraram-se batendo paó,
disseram as palavras de respeito.
Menos Olouó
Ele veio mas não deitou aos pés do pai,
não fexz oferendas,
não o homenageou com devia.
"Por que  não demonstra respeito por teu pai?",
perguntou Orunmilá.
Olouó respondeu que
seu pai tinha sandálias de precioso material,
mas ele também as tinha;
seu pai usava roupas dos mais finos tecidos,
mas ele também as usava;
seu pai tinha cetro e tinha coroa,
e que ele os tinha também.
Que um homem que usa uma coroa
não deve se prostar diante do outro,
foi o que disse o filho ao pai.
Orunmilá se enfureceu,
arrancou o cetro das mãos do filho
e o atirou longe.
Orunmilá retirou-se para o Orum, o Céu,
e a desgraça se abateu sobre o Aiê, a Terra.:
fome, caos, peste, confusão.
parou de chover, as plantas não cresciam
e animaos não procriavam,
todos estavam em desespero.
Os homens ofereceram a Orunmilá
toda sorte de sacrifícios, todos os cantos.
Orunmilá aceitou as oferendas,
mas a paz entre o Céu e a Terra
estava definitivamente rompida.
Os filhos de Orunmilá o procuraram no Orum
e lhe pediram para retornar ao Aiê.
Orunmilá entregou então a seus filhos
dezesseis nozes de dend~e e disse:
"Quando tiveres problemas
e desejarem falar comigo, consultem este Ifá".
Orunmilá nunca mais veio ao Aiê,
mas deixou o oráculo para que as pessoas
possam recorrer a ele quando precisarem.
Os filhos de Orunmilá eram assim chamados:
Ocanrã, Eijiocô, Ogundá, Ejila-Xeborá,
Icá, Oturopon, Ofucanrã e Iretê.
São sete os nomes dos odus.
São estes os filhos de Orunmilá.
Cada odu conhece um segredo diferente.
Um fala do nascimento, outro da morte,
um fala dos negócios, outro da fartura,
um fala das guerras, outro das perdas,
um fala da amizade, outro da traição,
um fala da família, outro da amizade,
um fala do destino, outro da sorte.
Cada odu conhece um segredo diferente.
Desde então, quando alguém tem um problema,
é o odu que indica o sacrifício apropriado.
Orunmilá disse:
"Quando tiverem problemas, consultem o Ifá".
Orunmilá numca mais veio ao Aiê,
mas deixou o oráculo para que as pessoas
possam recorrer a ele quando precisarem.

(Prandi, Reginaldo in Mitologia dos Orixás)
Desconheço a autoria das fotos publicadas acima.

 Exeu, Epá Oju Olorum!

26 comentários:

Dona Sra. Urtigão disse...

:-)

***** !

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Muito, muito rico, eu como um futuro historiador adoro mitologia!

Abraços!

Kimbanda disse...

Olá Silvana, boa tarde.
Mais uma vez me encantei e penso estar a perceber melhor o tema que me trazia grande curiosidade.
Foi um um bocado bem passado e saio daqui mais enriquecido. Obrigado e até amanhã.
Kandandos e saudações ambientais.

Lou a esquizoffrenica disse...

Silvana passando novamente para lhe dizer que essas histórias me encantam, beijo

Caterina disse...

Carissima,
ho guardato tutti e due tuoi blog e sono affascinata. Grazie e buona notte.
Kati

Mel Redi disse...

FORMIDÁVEL, cara amiga! Grande abraço, Mel

manuel marques disse...

Encantadodo.

Beijos.

Daniel Savio disse...

Interessante, mas com certeza, fiquei com uma dúvida, pois o que ocorreu a Olouó?

Fique com Deus, menina Silvana.
Um abraço.

Pedrasnuas disse...

MUITO INTERESSANTE...NOMES ESTRANHOS MAS UMA HISTÓRIA IDÊNTICA À DOS HUMANOS...
BEIJOS MITOLÓGICOS

Clecilene Carvalho disse...

Que bom vir aqui.

Tenha uma excelente semana.

Alís disse...

Interesante post. Estuve casada con un cubano y por él conocí algo de la mitología orisha. Interesante siempre.
Gracias por visitarme y permitirme descubrir este espacio.
Un abrazo

Amapola disse...

Boa noite, Silvana.
Daniel Savio está perguntando o que aconteceu a Olouó...
Não sei se estou certa, mas, depois que o seu pai tirou dele, o cetro, a coroa, etc.. e depois, o atirou longe, ele ficou desvinculado da família, não é?
Um abraço.

Vitor Chuva disse...

Olá Silvana!
Mais um história rica e complexa, dum mundo que a nós, tão longe da "realidade" aqui descrita,nem sempre achamos fácil de seguir; temos que imaginar para além do que lá está ... ou então não está.
A desobediência e falta de respeito é sempre um desgosto para um pai, e por isso Onummilá se terá retirado ... E sábio com era decidiu dividir o seu poder pelos filhos restantes.

Beijinhos. Boa semana!
Vitor

Cildemer disse...

Olá Silvana:-)
Muito obrigada pela linda surpresa que encontrei no meu cantinho e pela sua gentileza.
Já vi que aqui há muita coisa linda a descobrir e é com prazer que voltarei!

***
Obrigada por partilhar e um beijo grande*******

Amapola disse...

Boa noite, Silvana.
Olouó, depois que seu pai lhe tomou a coroa e o cetro, e logo em seguida, o atirou longe, acabou ficando desvinculado da família, não é?
Um abraço.

Jr Vilanova disse...

Maravilha de texto... como todos que venho lendo até aqui! Realmente essa sua iniciativa foi fantástica!
Parabéns outra vez!
Jr.

Sonhadoremfulltime disse...

Olá,
“E viveram felizes para sempre?”
Um texto que nasceu de uma simples conversa presenciada no comboio.
Quero partilhá-lo com todos porque me parece uma reflexão que proporciona a discussão e o reparte de opiniões.
No entanto lanço um pequeno desafio a todos os que queiram participar.
Os detalhes encontram-se no http://sonhoemmim.blogspot.com/

Beijos

prafrente disse...

Como sempre suas pesquisas são interessantissimas.É lógico que têm expessão mais significativa para povo brasileiro mas eu adoro conhecer a cultura de outros povos.
Sua metodologia de pesquisa é pesquisa de biblioteca ou também faz pesquisa de terreno?
Para responder ao seu comentário no meu blogue devo dizer que "falta de romantismo" pode ser útil em seu trabalho de pesquisa porque uma menor emoção pode significar um maior realismo na captação das estórias dos outros....embora possa também ser prejudicial em seu mundo afetivo...
amor, romantismo, afetos, emoções, não crescem nas árvores, nem descem do céu já com livro de instruções; precisam ser cultivados no jardim do nosso coração...

beijinho de Portugal

Renata Nogueira disse...

Silvana, vim retribuir a visita e conhecer seu blog! Achei fantástico!!
Beijão

Sônia Brandão disse...

Eu estava relendo Nascimentos/memória do fogo(1) de Eduardo Galeano e me lembrei de você.

Tenha uma ótima semana.
bjs

Naosoueumesmo disse...

Gostei muito do seu blog! Voltarei!!

Mizinha disse...

QUERIDA SILVANA! ESTOU ENCANTADA COM SEU TRABALHO, SEMPRE APRENDO COM VC, EU QUE TANTO AMO SERES DIVINOS, ME TRANSPORTEI ATÉ À FLORESTA, E NO SILENCIO DE TODO MEU SER LI MAIS UMA LINDA HISTORIA,BJS

Elizabeth disse...

Oi Amiga,
Que voce tenha um dia iluminado.
Beijo.

Cadinho RoCo disse...

Pela informação crescemos.
Cadinho RoCo

FlorAlpina disse...

Gostei de passar por aqui,
Voltarei por certo mais vezes.
...
Bjs dos Alpes...

Abóbora Amarelinha disse...

Silvana, que se pode dizer!
Mais uma história.
Acho graça os nomes.
beijinhos