sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

A MANDIOCA, O CORPO DE MANI.

A mandioca é o alimento principal de várias culturas indígenas. Os alimentos básicos vêm cercados de histórias miraculosas, que ressaltam sua importância essencial para a vida do povo.
Assim acontece com o trigo, o arroz, o milho, a batata, entre outros.
As religiões tomam alguns desses alimentos e os transformaram em sacramentos, que sinalizam a vida eterna, anseio de todos os sonhos.
Na cultura Tupi-Guarani, guarda-se uma bela história sobre a origem da mandioca.
Em épocas remotas, a filha de um poderoso Tuxaua foi expulsa de sua tribo e foi viver em uma velha cabana distante, pelo fato de ter engravidado misteriosamente.
Parentes longíquos iam levar-lhe comida para seu sustento e assim, a índia viveu até dar a luz a um lindo menino, muita branco o qual chamou de Mani.
A notícia do nascimento se espalhou por todas as aldeias e fez o grande chefe Tuxaua esquecer as dores e rancores e cruzar os rios para ver sua filha. O novo avô se rendeu aos encantos da linda criança, a qual se tornou muito amada por todos.
Mas o tempo gira nas rodas do catavento e ao completar três anos, Mani morreu de forma também misteriosa, sem nunca ter adoecido.
A mãe ficou desolada e enterrou o filho perto da cabana onde vivia e sobre ele derramou seu pranto por horas. Mesmo com os olhos cansados e cheios de lágrimas ela viu brotar no lical da sepultura uma planta que cresceu rápida e fresca.
Todos vieram ver a planta miraculosa que mostrava raízes grossas e brancas em forma de chifre, e todos queriam prová-la em honra daquela criança que tanto amavam.
Desde então a mandioca passou a ser um excelente alimento para os índios e se tornou um importante alimento em toda a região.

Desconheço a autoria das imagens publicadas acima.

16 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

As lendas continuam encantadoras, esta também aprendi na escola, quando era muito pequena, adorei ler tantos anos depois, outra vez...
beijos, bom fim de semana

Pétala_Rosadinha disse...

Que maravilha conhecer a lenda sobre esse "ícone" da cultura do meu Nordeste, que é a mandioca.

Eu particularmente sou apaixonada pela mandioca (aqui mais popular como macaxeira), e seus deliciosos pratos originários.

A propósito, sou uma alagoana apaixonada pelo Botafogo. Feliz da vida, embora um tanto apreensiva.

Beijos.

JRonson disse...

Adoro ler lendas, então estas aqui são tao intrssants *.* hei de fazer ainda um trabalho sobre o assunto, realmente interessame imenso mesmo x)

Alanzão disse...

Espetacular
Saudade eu tava daqui de ver essas historias/lendas..

adoro

Is we in the tape

PAKI disse...

Que coisa mais gostosa ler as histórias da nossa cultura. Sou do Amapá e adoro mandioca, farinha, tapioquinha, tacacá e tudo que vem da mandioca. Grata.

Viiii disse...

Olha só que coisa...! A lenda da mandioca que eu conhecia era diferente, a criança morria sim, mas era uma indiazinha também muito amada! Diferente, não é? Mas o interessante é que mudam os personagens e talvez até os ambientes, mas o resultado é sempre o mesmo.
Muito legal o seu post, e desde já peço desculpas por não poder comentar constantemente, é que com a volta às aulas, o tempo fica escasso!
Beijos e bom final de semana

Pérola disse...

Boa tarde.
Posso te falar uma coisa?
Seus textos são bastante construtivos,confesso q já usei alguns para aplicar em sala de aula.
Me perdoe pelo sumiço mas o trabalho na semana tem me consumido, portanto só tenho os fds para responder aos amigos.
Um lindo dia.
Um beijo grande.

Daniel Savio disse...

Interessante, mas eu diria que ele nasceu e completou o seu ciclo...

Espero que o problemas tenha sido resolvidos.

Fique com Deus, menina Silvana.
Um abraço.

Fatima disse...

Oi Silvana,
passando para deixar meu bj e colocar a leitura em dia.

Sanzinha disse...

Silvana, conheço essa história desde criança. Sempre a achei linda.
Adorei tê-la encontrado por aqui.
Obrigada pelas visitas, viu? Por estar presente. Coloquei um link pro seu blog lá no meu.

Beijo grande e ótimo domingo pra vc!

Amapola disse...

Bom dia, Silvana.
Que maravilha... as lágrimas ficaram encantadas, transformando-se em alimento.

Um grande abraço. Bom domingo.

Regina Rozenbaum disse...

Eii Sil amada
Amoooo mandioca de todos os jeitos... Não conhecia a lenda não! Ótimo domingo procê.
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Rocio Rodi disse...

Oi Silvana,
Gosto muito de passar por aqui, pelo respeito à nossa história, pelo cheiro de gente, pela busca contínua de nossa alteridade e cidadania, pelo respeito ao meio ambiente como sinal de nossa interdependência e identificação plural que se singulariza nessa rede de amigos. A lenda da mandioca continua a reencantar muitas crianças daqui desse pequeno recanto da amazônia, Belém e suas Ilhas.
Um grande abraço!
Maria do Rocio

KImdaMagna disse...

... reconhecer que somos antes de tudo, feitos do que comemos. Mesmo a inteligência é comestível. A era Industrial tá nos desviando do cerne da questão , por isso saúdo a amostragem do mito feito por Você.
Gostei!!!

xaxuaxo

Lilá(s) disse...

Mas que maravilha vir aqui conhecer esta lenda! esta atrai e encanta até ao fim, lindo.
Bjs

Iolanda disse...

Parabéns pelos ótimos trabalhos que você desenvolve tanto neste como no seu outro blog. Doravante vou deliciar-me com ambos. Abraços.