segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

UM POUCO DA LITERATURA AFRICANA.

Orixás são entidades cultuadas no Candomblé e na Umbanda, trazidos para o  Brasil no período colonial através dos africanos de origem iorubá (onde hoje é a Nigéria e o Benin). 
Quando o deus Olodumaré decidiu criar o mundo, cada orixá ficou responsável por alguns aspectos da natureza e da vida em sociedade. 
Cada humano surgiu de um desses deuses e herda dele algumas de suas características.  Não há como quantificar o número de orixás existentes.
No Brasil, o Candomblé cultua uma parcela tímida dos mais de 200 existentes na África Ocidental.
Conheça e entenda um pouco dos orixás mais populares :

Exu 
É o mensageiro entre os homens e os orixás e transportador das oferendas. Controla as forças que agem sobre a nossa realidade. Exu também é homenageado às sextas-feiras.
Ogum
Forte e corajoso, é conhecido como orixá da guerra e do fogo. Criou o ferro, a tecnologia e a metalurgia. Por isso, é padroeiro de todos os que manejam ferramentas. Seu símbolo é a espada.
Xangô
Senhor dos raios e dos trovões. Durante sua vida na Terra foi rei de Oyó, uma das principais cidades de língua iorubá. Por esse motivo, quando seus filhos o incorporam usam uma coroa.
Oxóssi
Orixá da mata e caçador, garante o alimento de todos os outros deuses. É considerado o guardião da agricultura e da natureza. É umas das divindades mais populares do Candomblé.
Oxalá
Separou o mundo material do espiritual. Muito respeitado, tanto pelos devotos humanos quanto pelos demais orixás, ajudou Olodumaré a criar o homem e o princípio da vida.
Oxum
É a senhora das águas doces, dos lagos e das cachoeiras. É tida como bela, vaidosa, rica e sensual. É a orixá que regula o amor e o poder de gestação das mulheres.
Obaluaiê
É o orixá das epidemias e também da cura. Traz em seu corpo as marcas das doenças que carrega, por isso precisa se esconder atrás de um chapéu de palha em forma de manto.
Oxumarê
Tem a forma de arco-íris e liga o céu e a terra. Controla a chuva, a fertilidade do solo e a prosperidade propiciada pelas colheitas. É masculino e feminino ao mesmo tempo.
Iansã
Dirige ventos, raios, tempestades e a sensualidade feminina. Representada sempre como uma guerreira, é senhora dos espíritos dos mortos, que encaminha para o outro mundo.
Ossaim
Deus das folhas e das ervas medicamentosas. Seus sacerdotes conhecem as palavras que ativam o poder de cura das plantas. Segunda e sábado também são dias desse orixá.
Iemanjá
Reconhecida como mãe de todos os outros orixás, é a deusa das águas. Rege o equilíbrio emocional e a loucura. Destaca-se pela feminilidade, generosidade e maternidade.

(Fonte : http://afrikasmitos.blogspot.com/ , da minha amiga Andréia Potter). 

 .................................
NOTA: 
Devemos saber separar a literatura da religião. 
A PAZ entre os povos só acontecerá no momento em que cada um aprender a respeitar as diversidades religiosas e culturais: a PAZ não está nesta ou naquela direção, e sim no que fazemos ( filtrando as inúmeras bobagens que nos são ditas ) com o entendimento daquele caminho que escolhemos  trilhar, tomando sempre o cuidado para não fazer desse caminho um sacerdóceo.

Somos todos iguais perante os olhos do Criador.
Pense nisso.


Desconheço a autoria da imagem.

41 comentários:

Amapola disse...

Bom dia.
Boas informações. Foi bom também, você frisar a importância de não misturarmos com religião.
Um abraço.

Miguel disse...

Seu blogue é uma continua aprendizagem, amiga Silvana. Aos anos que eu oiço esse termo e ainda pouco sabia acerca do seu significado. Mais uma das muitas heranças culturais que os africanos trouxeram para o Brasil.

Profª. Rosa disse...

Há tantos tesouros a descobrir... ritos e mitos... Tantos segredos perdidos a recuperar...
Adoro seu blog, obrigada!!

JAVIER AKERMAN disse...

Um pracer, cara Silvana, leer esta entrada tan máxica.
Feliz semana.
Um abraço.

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom dia!

é uma palavra mágica que faltava nesta manhã, e vem expressar à você o maravilhoso amanhecer que lhe desejo repleto de amor e paz.

Hoje certamente tudo dará certo o seu caminho será suavizado pela brisa do ar, que chegará até você de mansinho, trazendo com ela o aroma das flores, que darão colorido ao seu dia.

Tudo isso Deus colocou ao nosso alcance para avaliarmos o magnífico presente de estarmos vivos, e sobretudo dizer:

Bom dia!!!


beijooo.

Beta de Santana disse...

Olá Silvana!
Gostei de saber um pouco mais sobre o candoblê e seus orixás!
Que seu dia seja de paz e luz!!
Beijokas, Beta de Santana

angela disse...

Muito interessante este resumo dos principais deuses do candoblé.
boa semana
beijo

Regina Rozenbaum disse...

Sil Amada
Uma das vezes que estive na Bahia me contaram que eu era "OXUM"...não sei não. De qualquer forma achei o post de hoje bacanérrimo, pois entendo muito pouco, ou nada, do candomblé. Antes que esqueça: tem um presentinho procê lá no blog. Ganhei do amigo "Miguelito" e ameiii. Fique à vontade.
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

http://primaverilnomuro.blogspot.com/ disse...

Olá, Silvana!
Adorei seu texto!
Adoro a cultura africana!
Saudações primaveris

Elizabeth disse...

Oi,
Vim te visitar e amei tudo.
Beijo.

Jr Vilanova disse...

Sou completamente fascinado pela poesia impressa na cultura africana... essa coisa de deuses representando as forças da natureza é algo encantador, poético, deicado! Pena que o homem, por preconceito ou ignorãncia, deturpa preceitos tão belos.
Adorei!
Jr.

Fatima disse...

Silvana,
vc tem toda a razão não devemos misturar literatura com religião, mas temos que respeitar as duas igualmente.
Bjs.

O Árabe disse...

Bela postagem, Silvana. Acredito que todos temos curiosidade a esse respeito. :) Boa semana!

Daniel Savio disse...

Interessante, mas menina, senão me engano, há santos católicos que serviram para ocultar a adoração ao candomblé, você saberia dizer quais são?

Não sei se conheçe, mas o Hugo fez um série sobre os orixás, o blog dele é Nosso Cotidiando, endereço: http://www.nosso-cotidiano.com.br/

Ficaria interessante se comentasse sobre o assunto.

Fique com Deus, menina Silvana.
Um abraço.

Artes da Marga disse...

Oi Silvana!
Vim pedir um favor. Entra no meu blog no lado direito em cima tem o link Arte Índia para votar. Vote comentando no meu trabalho que é o nº 6. Ficarei grata.
Bj
Margarida

Paulinha disse...

Olá Silvana, vim conhecer o seu blog e agradecer a visita lá no meu!

Que post interessante, confesso que me tirou algumas dúvidas e esclareceu algumas questões que eu tinha em relação ao assunto.

E gostei muito das suas palavras no final...

Um abraço!

manuel marques disse...

Muitíssimo interesante.

Beijos.

Eliezer Albuquerque disse...

Oi Silvana.
Concordo plenamente com você quando diz que somos todos iguais diante de DEUS.
O respeito, não só à Religião e cultura dos outros é importante se queremos a paz, mas também o respeito a opinião nas suas mais variadas formas de expressão.
Parabéns!
Tenha uma semana repleta de paz!!!

São disse...

Brilhante , a todos os títulos este seu post.

Indico-lhe , se ainda não conhece, O SIBARITA.

Um abraço por sobre o azul do mar.

Dalva disse...

Sempre aprendendo... seu trabalho é mesmo fascinante! Parabéns, Silvana!

Boa semana!

Bjs.

Lezinha disse...

Olá,
Simplesmente adorei sua matéria !! Realmente falta ficar claro esse tipo de explicação sobre a literatura Africana. A maioria das pessoas não leem e acabam "rotulando"de uma maneira errada. Vou linkar vc no meu blog p/ sempre voltar por aqui.
Boa semana!

Pedrasnuas disse...

DESCONHEÇO POR COMPLETO A LITERATURA AFRICANA...ACHEI CURIOSO
ESSES NOMES MUITO ESTRANHOS DAS DIVINDADES...MAS QUERO ACRESCENTAR QUE COMPREENDI PERFEITAMENTE A TUA MENSAGEM, A NOTA FINAL...ESSA É MUITO IMPORTANTE; O RESPEITO PELAS DIVERSIDADES CULTURAIS E RELIGIOSAS...E CONCORDO, A PAZ SÓ SERÁ POSSÍVEL QUANDO ESSAS DIFERENÇAS FOREM RESPEITADAS E TODOS POSSAM VIVER LIVREMENTE.

ABRAÇOS PARA A FLORESTA E PARA TI

catwoman disse...

Com a vinda de muitos brasileiros para Portugal e também através da telenovelas, ouvimos falar do candoblê e dos orixás, também temos muita gente de origem africana por cá, por isso penso que é bom conhecermos um pouco das outras culturas, porque só assim aprenderemos a respeitar.
E a verdade é que a Paz só será alcançada quando aprendermos a respeitar as diferenças e a conseguirmos conviver com elas, sem desconfiança, por isso o conhecimento é importante.
Beijinho.

Baila sem peso disse...

Gostei bastante do que aqui li!
Pouco conheço dessas origens
mas sim, acho belas compará-las
ao fascínio da Natureza Mãe
e perceber as diferenças e crenças
entre a religião...no fundo também
separar, sem deixar de respeitar
onde nos leva o coração...
Maravilha da Paz que tudo contém...
seja cultura, seja religião
seja qualquer porém...

O meu desejo de boa semana
Meu beijo como convém :)

Paulo Braccini disse...

agradecendo e retribuindo o carinho da visita ... cheio de curiosidades interessantes por aqui eim? delicioso ... voltando para viajar mais ...

bjux

;-)

Drika disse...

Boa tarde Silvana! Bom mês de fevereiro para todos nós! =)
Sabe que lembrei de vc hoje cedo... é! Vi um livro de Jung... caiu em minhas mãos... olha só! Vc me sugeriu e eu nem precisei ir atrás... vou ler =)
Vc é formada em Letras então? Eu estou na faculdade de Letras e este seu texto veio em boa hora, gostei!
Vamos pedir em nossas orações que seja um tempo mais trânquilo este, sem chuvas, tremores, mudanças bruscas... vamos orar pela terra tbm!

Boa semana, Silvana!
Bjs no coração!

Luisa Moreira disse...

Silvana

Fiquei a saber um pouco mais sobre o candoblê e seus orixás

Abraço, e boa semana.

Luisa

Valéria Russo disse...

SIL..
GOSTEI MUITO DE SUA POSTAGEM APESAR DE DIVERGIR EM CONHECIMENTO A RESPEITO DE ALGUNS ORISSAS..
OXUMARE, NÃO É HOMEM E MULHER SEGUNDO O CULTO DO CANDOMBLÉ KETU(MINHA NAÇÃO) ELE É HOMEM E REPRESENTADO PELA COBRA...NÃO EXISTE ESSA MISTIFICAÇÃO DE QUE É SEIS MESES HOMEM E SEIS MESES MULHER, ELE É UMA ENTIDADE MASCULINA....
DESCULPE, MAS PRECISAVA ESCLARECER ISSO QUE É UM ERRO MUITO COMUM E DITO ATÉ MESMO POR MUITOS PAIS DE SANTO POR AI A FORA..
MAS SUA INTENÇÃO DE DIVULGAR E EXPOR A CULTURA AFRO DESCENDETE É IMPORTANTISSIMA.
PARABÉNS PELA CORAGEN E PELA DIVULGAÇÃO.
DESCULPE A INTERFERENCIA...
OK??
ESTAVA COM SAUDADES DE VIR AKI..
MAS SEMPRE ESTOU TE LENDO, VIU..??
BJUIVOS NO CORAÇÃO...
SAUDAÇÕES URBANAS E MUITO CHUVOSAS..RSR
LOBA.

manuel afonso disse...

O homem sempre viveu do imaginário. Em todas as épocas, culturas e civilizações, surgiram entes imateriais que ajudavam a justificar o que não era facilmente alcançável pela sua inteligência.
Ao lado existem as lendas e as histórias que são expressão e reflexo daqueles sentimentos, medos e crenças. Para além de documentos históricos, são uma maravilha literária. Este texto é um deles.

Renato Orlandi disse...

Oláaa, obrigado pela visita, jah te linkeei!!! LOVhere too!

Eu queria te pedir algo, fui indicado ao troféu "The Best GB Janeiro/2010" pelo site "Gazeta dos Blogueiros" dá uma passadinha lá e vota em mim? :D tksss!

(http://gazetadosblogueiros.com)

bjuu e voltaarei!

Fernanda disse...

Amiga Silvana,

Uma verdadeira lição para mim.
Não sabia nada do que nos contou.

Fico sempre fascinada com os seus textos.
Parabéns
Beijinhos

Rosemildo Sales Furtado disse...

É vivendo e aprendendo. Já ouvi falar de todos esses orixás, até porque, já frequentei alguns terreiros de Umbanda, assim como, já frequentei a Federação Espírita, a Igreja Católica e diversas Igrejas chamadas de protestantes, como, Adventista, Presbiteriana, Batista, etc, e acho que todos os ensinamentos religiosos são válidos. O mais importante é saber respeitar a todos.

Bela lição amiga. Adorei!

Beijos,

Furtado.

Rocio Rodi disse...

Se pudéssemos ir a fundo e conhecer as origens dessas histórias veríamos que elas se entrecruzam com tantas outras mais. São princípios de pensamento que me fazem admirar por exemplo como os índios Tembé identificam a constelação "queixo da anta" que orresponde ao "signo de touro" e tem todo um simbologismo por trás. Povos primitivos - mesopotâmicos, sumérios etc. que se presentificam nos povos indígenas. Qual o legado histórico que possuem? A oralidade? E por que ela não é tão valorizada na escola? Somos elitistas demais? Memória escrita ou sabedoria de um povo... Menores ou maiores, quanta discriminação, ou como Foucault nos faz pensar na "microfísica do poder". Estudamos porque sabemos de nossa limitação e da necessidade que temos do outro, somos seres perfectíveis. Um grande abraço!
Maria do Rocio

Amapola disse...

Bom dia, professora.
Um grande abraço.

Maria Teresa disse...

Nossos mistérios são infinitos e de várias maneiras procuramos decifrá-los durante toda a vida. Gostei muito de saber um pouco mais dessa cultura africana tão preciosa. Bjos

Vitor Chuva disse...

Olá Silvana!

Lindo post este, à volta da origem das tradições de raíz Africana nesse enorme país:E está lindamente apresentado, transportando-nos ao tempo e aos lugares em que elas foram criadas, dando-nos a conhecer a razão por detrás do surgimento das mesmas.
Que, no fundo, não serão asim tão diferentes das que conhecemos em relação a outros povos e civilazações , só que menos nossas conhecidas ... por não pertencerem à raça branca, nem objecto de estudo nas nossas escolas.
E este post preenche uma parte desse vazio, de forma interessante e e apelativa, que torna a leitura agrdável e fácil- e todos ficamos um pouquinho mais ricos !

Beijinhos.
Vitor

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Silvana, belo post...todos diferentes, todos iguais...Espectacular....
Beijos

Paulo Braccini disse...

qta riqueza cultural encontramos por aqui ... super interessante esta sua proposta de divulgar aquilo que muitas vezes fica na obscuridade e na ignorância de grande parte dos brasileiros ... conhecer suas raízes culturais ...

bjux

ps: seguindo sempre

;-)

Denise Guerra disse...

Oi Silvana, adorei esta postagem, entretanto, sobre a nota devo dizer que os africanos não dividem como nós a vida social, política, econômica etc da vida religiosa. O próprio trabalho está implicado na religião e em tudo o mais que eles vivem. Antônio Olinto já dizia que o africano "não dança, ele é a dança que faz! o africano não reza, ele é a reza que faz!". bjs!

Eva Gonçalves disse...

Vais-me desculpar a ignorância... mas o OXALÁ tem alguma coisa que ver com a expressão Portuguesa oxalá? Pensei que esta tivessa origem muçulmana, mas posso estar enganada ou terem ambas origem comum. Talvez alguém me saiba esclarecer. Gosto imenso do teu spaço, nem sempre comento, mas leio as histórias e gosto muito desta riqueza cultural que tentas preservar. Beijinhos

Valerie disse...

Amigo, continua servindo e não temas. Onde viste o lavrador que deitasse as sementes na terra e as visse germinar, no mesmo instante?
O serviço que te confiei é aquele mesmo que o Pai me deu a fazer... Nenhum gesto de bondade e nenhuma palavra de amor se perdem na construção do Reino do Bem Eterno. (Meimei)


Parabéns pelo lindo Blog, Sil. Tudo aqui tem excelente conteúdo. Voltarei sempre.

Abraços afetuosos com votos de uma semana repleta de paz e luz!
Val