sábado, 21 de novembro de 2009

A LENDA DO ALGODÃO.



Há muitos anos, os índios não sabiam cultivar a terra, nem domesticar os animais. Não construíam malocas e nunca tinham visto tecer ou fiar. Habitavam em cavernas ou alto das árvores. Pareciam animais selvagens.

Nesse tempo, havia uma tribo cujo pajé era prudente e sábio. Chamava-se Sacaibu.

Um dia Sacaibu resolveu mudar-se com seus companheiros para um lugar bem alto, com muita caça.

Sacaibu plantou uma semente dada por o deus chamado Tupã. A semente germinou e virou uma árvore muito grande.

Passado algum tempo, perceberam que no lugar abriu-se um abismo muito fundo e que na árvore tinham crescido enormes tufos brancos.

Os tufos brancos eram algodões que com eles teceram roupas e fizeram cordas para chegarem ao fundo do abismo e viu que lá em baixo tinha um povo muito adiantado, bom, forte, generoso e prestativo. Atendendo ao pedido de Sacaibu subiram nas cordas e ajudaram os índios a cultivar a terra.

Foi assim que nasceram os primeiros algodoeiros no Brasil.

29 comentários:

Anabela disse...

que engraçado!As coisas que tu nos ensinas,obrigado por isso,bjs

Isa disse...

Aprendo sempre mais quando aqui venho :)

A Moni. disse...

Muito bom...

Dá pra avaliar, pedagogicamente falando, que o Deus Tupã, ainda que defensor maior da cultura dos seus, em ato generoso proporciona-lhes não só os meios para ir além, mas formas de se adequarem ao encontro com os diferentes - as roupas - evitando assim sua exposição.

Muito legal, Silvana!
Tenha um ótimo fim de semana...

Licínio Filho disse...

Os povos indígenas sempre nos ensinando o compartilhar,sempre nos mostrando o delicado da vida.
Abraços.

Juℓi Ribeiro disse...

Sabedoria e beleza!
Um encanto...

Beijo.

Pelos caminhos da vida. disse...

Só passei para saber ...
da sua saúde esperando
sempre que esteja bem,
da sua casa rezando
para que esteja em Paz,

da sua família esperando
que esteja em harmonia,
de seu trabalho desejando
um enorme progresso,
dos seus problemas mais bobos
almejando uma solução,
das suas finanças aspirando
que você prospere,
da sua vida sentimental torcendo
para que tenha um amor,
das suas preocupações pedindo a
DEUS que você encontre tranqüilidade,
se você se sente só tomara
que perceba que estou sempre aqui,
se sente em total abandono quero
que encontre apoio na FÉ,

Só passei para te desejar
Bom dia...
Boa tarde...
Boa noite....

E para que saiba que estará
sempre acompanhado (a)
pelo bom pensamento desse anjo,
E se ainda assim tudo lhe parecer escuro
e você sentir que nada posso fazer,
Saiba assim mesmo que sempre
rezarei por você!
até sempre.....
(Seu Anjo da Guarda)

Autor Desconhecido


beijooo.

The Blues Is Alright disse...

E no blues, quem começou?

Mariadapaz.com disse...

Oi Silvana,
Seu blog é show. Resgatar a nossa cultura que se encontra tão esquecida. Ainda lembro as estórias de Trancozo que meu avô contava. Inspiração para meus escritos. Essa troca que a internet nos permite é fantástica.Parabéns pelo belo trabalho. Tenho um orkut com 4mil e tantas fotos. A grande maioria minhas,se precisar de alguma, esteja a vontade (pode copiar)

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA AMIGA, BELO TEXTO... OBRIGADA POR NOS CONTARES ESTA LENDA...ABRAÇOS DE CARINHO,
FERNANDINHA

Nelson Agadé ... disse...

Bonita historia, qiantos misterios tem cada país e que ainda não são descobertos?

Cumprimentos e bom fim de semana!!!

Zeze Mendez disse...

Oi, passando pra desejar um ótimo fim de semana!!
Depois dá um "alô" também no
http://doutorvideos.blogspot.com/
http://doutorgoogle.blogspot.com/
Fica com Deus, bj.

Flor ♥ disse...

Olá, Silvana!

Linda históra...

Bjs.

Fernanda disse...

Olá Amiga Silvana,

Sempre muito interessantes as suas histórias. Umas mais verídicas, outras mais fantasiadas, mas sempre fascinantes.

Parabéns!
Beijinho

manuel marques disse...

Que conto bem "fofinho".


Beijo querida amiga.

Luciana Casado disse...

Adorei este conto, Silvana!!

alegria de viver disse...

Olá querida
Esta é a lenda mais fofinha que você postou.
Com muito carinho BJS.

Cris disse...

Las leyendas siempre nos brindan una enseñanza. Esta del algodón es muy linda e interesante.
Cariños

graciete filipe disse...

Minha querida já várias vezes tenho vindo aqui ao seu blog. E é com muito prazer que tenho lido os seus postes, pois são bastante bonitos com histórias encantadoras, e hoje vi que tinha estado no meu espaço e que deixou um lindo comentário. Tenho grandes amizades ai no seu País feitas através dos meus blogues, pois é com muito gosto que irei segui-la e nos tornarmos boas amigas também.
Beijos de luz em seu coração

Sena do Aragão disse...

Que bela história...

Lembro-me do primeiro algodoeiro que vi. Antes disso, achava que o algodão nascia em fábricas.

Obrigado pelas visitas e comentários.

Ótimo Fim de Semana

Abraços

Mari disse...

Adoro ler as suas lendas,são uma melhor q a outra
Bom assim eu posso contar para meus filhos,perincipalmente o meu pekeno
além de nos ensinar a gente aprende a nossa cultura de onde tudo surgiu
Parabens pelas belas lendas
Amo seu blog,ainda bem q vc me encontrou e me fez sua seguidora
Bom fds
Bjos

Daniel Savio disse...

Não sabia que o algodão era uma planta nativa do Brasil...

Fique com Deus, menina Silvana.
Um abraço.

micael disse...

Um Blog que continua espectacular.

...Recordar as plantações de algodoeiros no Sumbe, em Angola... Lindo de se ver... Tudo branco em grandes extensões.

Bom fim de semana

Divanira Arcoverde disse...

Olá Silvana

Seu blog nos encanta. Quanto aprendizado! Parabéns!
Abraço nordestinamente paraibano.
Divanira Arcoverde

Divanira Arcoverde disse...

Olá Silvana

Seu blog nos encanta. Quanto aprendizado! Parabéns!
Abraço nordestinamente paraibano.
Divanira Arcoverde

Regina Fernandes disse...

Silvana é muito gostoso passar por aqui, a gente sempre aprende alguma coisa bonita.

Bjs
Luz!

Ana Isabel disse...

Um enorme prazer visitar teu espaço!


Obrigada pela visita.


Aquele abraço.

mariamarlenef6@gmail.com disse...

Oi linda, vim dar uma olhada e aisar que tem uma declaração de afeto no meu blog para vc. bjus

myra disse...

beleza, beleza, beleza e obrigada por nos lembrar coisas ja ha tanto tempo esquecidas...
beijos

Fabiano Mayrink disse...

Devem ter ficado maravilhados com os tufos brancos, ;)