sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O ENCANTADO DOM SEBASTIÃO E A ILHA DE LENÇÓIS.



“ Na praia dos Lençóis, entre os municípios de Turiaçu e Curupuru, no Maranhão, nas noites de sexta-feira, não havendo luar, aparece um grande touro negro com uma estrela resplandecente na testa. Quem estiver na praia será tomado de um pânico irresistível (...).Quem tiver a coragem de ferir o touro na estrela radiante vê-lo-á desencantar e a aparecer El-Rei D. Sebastião. A cidade de São Luís do Maranhão submergir-se-á totalmente, e diante da praia dos Lençóis emergirá a Cidade Encantada, onde o rei espera o momento de sua libertação. Na praia dos Lençóis é proibido pelos pescadores levar-se qualquer recordação local, que tenha sido colhida na praia ou n’água do mar, conchas, estrelas, búzios, algas secas, etc. Tudo pertence a El-Rei D. Sebastião e é sagrada sua posse”.

Dom Sebastião foi o rei português que morreu em 1578, aos 24 anos, quando se lançou com seus soldados em uma temerária aventura guerreira no Marrocos, na esperança de converter os mouros em cristãos. Ele desapareceu na famosa batalha de Alcácer Quibir, durante o qual o exército português foi quase dizimado pelas forças inimigas, e como o seu corpo jamais foi encontrado, muitas lendas foram criadas pelos crédulos e otimistas, todas alimentando o sonho de que um dia Dom Sebastião retornaria à sua terra para libertá-la do domínio espanhol, restaurando dessa forma o império português.
Uma dessas histórias sustenta que o soberano costuma aparecer nas noites de lua cheia em uma das praias da ilha dos Lençóis, que por sua vez está localizada no arquipélago de Maiaú, lado ocidental da cidade de São Luís.
Reza a lenda que o rei sempre se deixa ver na forma de um touro encantado, aguardando esperançoso que algum corajoso finalmente apareça e o liberte da maldição que o colocou naquela situação. E, também, que ele mora em um palácio de cristal que sempre se ergue no fundo do mar, próximo a ilha, mas não consegue sair de lá, por mais que tente, porque seu navio não encontra a rota correta que o leve de volta a Portugal.
A mesma versão garante ainda que a Ilha dos Lençóis é encantada, e que se tomou morada do rei português porque os montes de areia nela formados pelo vento, se assemelham aos existentes no campo de Alcácer Quibir, onde Dom Sebastião desapareceu.O touro negro que esconde a figura do rei português tem uma estrela de ouro na testa, e se alguém conseguir tangê-la, ferindo o animal, o reino será desencantado, a cidade de São Luís irá submergir e em seu lugar surgirá à cidade encantada que guarda os tesouros do rei.
Também o dia em que a testa estrelada do touro for atingida por algum cidadão desassombrado, o rei será libertado do encanto maligno que o transformou em animal e emergirá de vez das profundezas do oceano.
Dom Sebastião I (1554 - 1578), décimo sexto rei de Portugal, herdou o trono em 1507, quando tinha apenas três anos de idade. Aos 14 anos, quando finalmente assumiu o trono, o jovem soberano tinha a saúde débil, o espírito fraco e a mente sonhadora, razão pela que ao invés de administrar o vasto império de que era senhor, formulava planos para batalhas imaginárias e conquistas retumbantes, além de projetos visando à expansão da fé católica, profundamente convencido de que seria ele o capitão de Cristo numa nova cruzada contra os mouros do norte de África.Por esta razão começou a preparar-se para a expedição contra os marroquinos da cidade de Fez.

    E quanto a Dom Sebastião, provavelmente morreu na batalha ou depois de   aprisionado. Mas para o povo português de então, o rei havia apenas  desaparecido, e por isso passou a esperar por seu regresso


O poeta Fernando Pessoa dizia:
 

"Quando é melhor, quando há bruma,
Esperar por D.Sebastião,
Quer venha ou não!"

41 comentários:

Meyka disse...

oie

Passadinha para desejar um ótimo dia ...

beijos

Daniel Savio disse...

Engraçado que colocaram longo no Brasil o possivel destino do desaparecimento dele...

Fique com Deus, menina Sil.
Um abraço.

Anabela disse...

linda esta historia,interessante,porque no brasil?bjs

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom dia amiga.

Sabe aquele dia lindo,
cheio de coisas boas?

Poís é; este dia
que vim te desejar!

beijooo.

Victor Gil disse...

Olá Silvana.
Vejam só como as coisas são. Nós aqui à espera que ele apareça numa manhã de nevoeiro, e esse individuo lembrou-se de ir parar ao Brasil, mais propriamente na Ilha dos Lençóis, na pele de um touro. Lá terá as suas razões. Eu se calhar com as belezas naturais, e não só rsrsrs... também escolhia ir para aí,
Beijos amiga
Victor Gil

Elizabeth disse...

Olá Silvana,
Acho, o seu esforço, para levar cultura a quem quiser, o máximo.
Beijos.

angela disse...

Conhecia a estoria de D. Sebastião, mas não conhecia esse "prolongamento"" no Maranhão.
beijos e bom fim de semana

Karlinha disse...

Oi, respondi seus post lá no meu blog, depois veja lá tá?
Há, eu amei sim.
Quero ver, vc lá no Blog. tá bom?
Participando também:
Se quiser, ser seguidora do Coffie & Movies:
[b][u]

http://coffieandmovies.blogspot.com/

Vou ama ter vc lá? Vio.

Marcelo Mayer disse...

palmas para seu blog, por nos mostrar a real cultura do brasil. o verdadeiro brasil.

Eduardo P.L disse...

Obrigado pela visita e comentário no meu O ULTIMO BLOG!
Volte sempre, e será um prazer!

FOTOS-SUSY disse...

OLA SILVANA, BELISSIMA HISTORIA...GOSTEI MUITO...VOTOS DE UM OPTIMO FIM DE SEMANA!!!
BEIJOS COM AMIZADE,


SUSY

Beta disse...

Adorei a história!!!
Parabéns!!
beta

Barreto disse...

Bastante interessante.
O Brasil é rico de cultura e no entanto, tantas porcarias sao exibidas em novelas.


Beijao,
Barreto

Lidia Ferreira disse...

Nossa que texto fantástico, adorei adoro visitar seu blog , ele e de tirar o fôlego
bjs tenha um ótimo dia

Thiago Maia disse...

huuuuuuuuuuuuum, pois gostei desse cantinho também
e estou seguindo desde já

beijo

Maria Letra disse...

Parabéns! Gostei de ver a Lenda de D. Sebastião aqui neste blogue, criado algures no Brasil.
Pobre D. Sebastião! Foi parar longe, amiga Silvana. Que repouse em Paz!
Maria Letra
http://caminhosdecristal.wordpress.com

Gislene disse...

OLÁ, SILVANA
TANTAS LENDAS E CURIOSIDADES DESTE BRASIL...
SÃO INFINITAS, NÉ!
OLHA, FALA DO SACI-PERERÊ, NÃO VI VOCÊ POSTAR NADA DELE AINDA...
TEM UMA SENHORA, DO INTERIOR DE SÃO PAULO, SE NÃO ESTOU ENGANADA, DE BOTUCATU, QUE AFIRMA VER OS SACIS...ELA JÁ FOI EM DIVERSOS PROGRAMAS DE ENTREVISTAS, JÔ SOARES, AMAURI JR, ENTRE OUTROS...
É BEM INTERESSANTE. VAI AÍ UMA SUGESTÃOZINHA MINHA PRA TI.
OLHA PASSA LÁ NO MEU MUNDINHO, TEM UM SELINHO MEU PRA VOCÊ...
E OLHA, PARABÉNS PELO TEU BELÍSSIMO TRABALHO!
BEIJOS,
GISLENE.

Patty disse...

OIE, TAMBÉMA DOREI ESSE BLOG, INTERESSANTE E DIFERENTE, CONTADORA DESSAS LENDAS URBANAS.
SHOW!
COM CERTEZA ESTOU TE SEGUINDO E TE PEÇO TAMBÉM PARA CONHECER E SEGUIR MEU OUTRO BLOG "PROEZAS DEW CONDOMÍNIO"
BJS COM MEL!

welze disse...

por tudo que leio diariamente aqui, e pode ter certeza que o faço, cheguei a uma conclusão. Se você não existisse, o mundo seria muito pobre. Que sorte a nossa te-la por perto. Saudações florestais.!

nereida disse...

Silvana, encantada estou pela sua história... eu , se pudesse, também gostaria de ,de viver , nem que encantada fosse, naquelas paragens lá do marahnão!Já faz muito tempo que por lá estive e que, por pouco, de tão encantada, não fiquei de vez! Bj e um lindo fim de semana!

Esther cyrraia disse...

parabéns moça!!!! é para poucos este belo e difícil ofício de contar histórias e estórias, adorei esta, lençois é mesmo um lugar lindo, ainda bem que nunca encontrei touro algum poir lá! rsrs, já aqui, encontrei um ótimo blog que valoriza e transmite nossas raízes!!!!

xeru e muito sucesso!!!

Nilson Barcelli disse...

Silvana, achei o seu post interessantíssimo.
Sendo português, eu não conhecia essa lenda.
Há uma canção que, no essencial, descreve a lenda do ponto de vista português, que pode ver/ouvir em

http://www.youtube.com/watch?v=ETUlTvmBwiI

A letra:

Fugiu de Alcácer Quibir
El Rei D. Sebastião
Perdeu-se num labirinto
Com seu cavalo real

As bruxas e adivinhos
Nas altas serras beirãs
Juravam que nas manhãs
De cerrado de Nevoeiro
Vinha D. Sebastião

Pastoras e trovadores
Das regiões litorais
Afirmaram terem visto
Perdido entre os pinhais
El Rei D. Sebastião

Ciganos vindos de longe
Falcatos desconhecidos
Tentando iludir o povo
Afirmaram serem eles
El Rei D. Sebastião
E que voltava de novo

Todos foram desmentidos
Condenados às gales
Pois nas praias dos Algarves
Trazidos pelas marés
Encontraram o cavalo
Farrapos do seu gibão
Pedaços de nevoeiro
A espada e o coração
de El Rei D. Sebastião

Fugiu de Alcácer Quibir
El Rei Rei D. Sebastião
E uma lenda nasceu
Entre a bruma do passado
Chamam-lhe o desejado
Pois que nunca mais voltou
El Rei D. Sebastião
El Rei D. Sebastião


Obrigado pela sua visita. Volte sempre.
Coloquei o seu link.

Beijos.

disse...

Vim te desejar um fim de semana maravilhoso e cheio de luz e paz.
adoro ler esses contos mas com pouquinho de medo.Coisas de rosane.
Adoraria conhecer sua terra, bom seria se os autores das novelas brasileiras olassem mais para a nossa rica e maravilhosa cultura.
Beijos minha lind!

Maria vai com as outras disse...

Ola Silvana,
Muito interessante o seu blog, algumas coisas assustadoras... típicas das lendas!
Explica pra mim as saudações florestais e a Maria vai com as outras...
Paula

J. Araújo disse...

Silvana, obrigado pela visita e comentário. Mas na verdade eu já conhecia seu blog e já fiz comntário em outra oportunidade.

Com certeza seu blog é muito bom e os contos e lendas aqui encontrados muitos deles é do conhecimento de muitos brasileiros. Outros são mais regionais.

Parabéns!!

Bjss

manuel marques disse...

Fugiu de Alcácer Quibir
El Rei D. Sebastião
Perdeu-se num labirinto
Com seu cavalo real

As bruxas e adivinhos
Nas altas serras beirãs
Juravam que nas manhãs
De cerrado de Nevoeiro
Vinha D. Sebastião

Pastoras e trovadores
Das regiões litorais
Afirmaram terem visto
Perdido entre os pinhais
El Rei D. Sebastião

Ciganos vindos de longe
Falcatos desconhecidos
Tentando iludir o povo
Afirmaram serem eles
El Rei D. Sebastião
E que voltava de novo

Todos foram desmentidos
Condenados às gales
Pois nas praias dos Algarves
Trazidos pelas marés
Encontraram o cavalo
Farrapos do seu gibão
Pedaços de nevoeiro
A espada e o coração
de El Rei D. Sebastião

Fugiu de Alcácer Quibir
El Rei Rei D. Sebastião
E uma lenda nasceu
Entre a bruma do passado
Chamam-lhe o desejado
Pois que nunca mais voltou
El Rei D. Sebastião
El Rei D. Sebastião

José Cid

Fernanda disse...

Cara amiga Silvana,

Sou portuguesa como julgo saber.
Esta história de El Rei Dom Sebastião é verdade sim, ainda hoje se diz, sobretudo quando sabemos de antecedêcia que algo é inatíngivel "Há-de acontecer/ aparecer numa manhã de nevoeiro".

A sua história tem umas pinceladas novas, lindas, que adorei ler.
Obrigada.
Bfs.
Beijinhos
Fernanda Ferreira (Ná)

Heyder Numeriano disse...

Agradeço a visita e os elogios ao meu blog e fico feliz por estar me seguindo.
Olhando o seu blog, gostei muito! textos bacanas, pertinentes... muito bom! Obviamente por causa disso e em consideração por tb estar me seguindo, te sigo.
Ah, não se preocupe com seu monitor, os textos do meu blog são curtinhos, vc não vai cansar muito a vista não!
já os textos do seu blog são bem extensos... mas meu monitor tá legal, não terei problemas em ler, aliás, gosto muito de ler, e seu blog é uma mão na roda.
Amizade aceita!

Abraço...
Heyder Numeriano
http://www.peitolinape.blogspot.com/

Rita disse...

Olá, Silvana!

Sabe que hj mesmo uma amiga minha me comentou sobre seu blog? Ela falou super bem pois gosta demais!

Fico feliz por seu convite! :)

Já estou favoritando e não demora, voltarei aqui para uma leitura mais profunda, viu?

Um beijo e parabéns pelo ótimo blog.

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Silvana,

Seu blog é muito interessante. Vender sonhos através da cultura é para poucos e pelo que li você faz isso divinamente. Lógico que seguiremos sua proposta, até porque exaltamos o amor aos quatro ventos. E tudo o que é feito com amor vai ser levado aos corações.

Espero não perder contato, viu?

Beijo grande, menina linda.

Rebeca

-

Flora Maria disse...

Muito linda essa lenda !
Romântica e encantada.

Beijo

Regina Fernandes disse...

Dom Sebastião no Maranhão é incrível! Amei!

Parabéns Silvana adoro vir aqui no seu cantinho.

Bjs
Lindo dia

Coisa Frágil disse...

olá flor,

muito lindo seu blog. Cheio de poesia, beleza, cultura, sabedorias, reflexões....linda a sua família, linda vc...adorei...temos os mesmos pensamentos...as mesmas vontades..estou de mãos dadas contigo....a leitura e a educação tem que ser a solução...a saída para os males desse nosso tempo...tempo de despertar para a cosnciencia...

bjus e lindo final de semana p ti e obrigada por fazer parte do meu mundo!

Lourdes disse...

Por cá dizem que ele vai aparecer numa manhã de nevoeiro.
Beijinhos e um bom fim de semana.

Lili disse...

Olá, Silvana
Passei por aqui para retribuir a sua deliciosa visita...
Gostei muito do seu blog e me identifico com sua luta pela Cultura. Nesse sentido, já somos almas afins...!
Apareça quando quiser, vc será bem-vinda!!
Um grande abraço

Pamela disse...

Hola Silvana!! Este es un gran blog, he visitado muchas veces el Brasil, y siempre vuelvo más enamorada de su cultura y sobre todo de sus gentes. Gracias por divulgar esto que es la esencia de un pueblo. Abrazos

Bipede Implume disse...

Que história interessante. Nós (portugueses) aqui à espera que ele surja num dia de nevoeiro e o D. Sebastião aí em Lençóis, disfarçado de touro.
Já o nosso Fernando Pessoa dizia:
"Quando é melhor, quando há bruma,
Esperar por D.Sebastião,
Quer venha ou não!"
Muita Paz para ti, Silvana.
Isabel

Sonia Schmorantz disse...

As imagens desta ilha são de sonho!
beijos menina, lindo fim de semana

Fernanda disse...

Amiga Silvana,

Diz-se que aparecerá numa manhã de nevoeiro...porque não se vê nada :)))))

Volto logo para ler o seu novo conto.

Teresa disse...

Não conhecia esta lenda. É muito interessante. Então, o rei desapareceu em Marrocos e ía reaparecer no Brasil?
Bjs

REGINA GOULART SANTOS disse...

Amei! Então, de Alcácer Quibir, Marrocos, eis que El Rei D. Sebastião, veio aparecer sob as brumas da Ilha dos Lençóis, aqui no Brasil, na forma de um imponente touro negro, com uma estrela na testa.
Quando lá estiver, tenha a certeza que lembrarei disso, e de repente, quem sabe ? Tudo poderá acontecer ... !
Muitos beijos