sexta-feira, 13 de novembro de 2009

O CANTO DA FLAUTA MÁGICA: O IRAPURU.


O irapuru é um dos menores pássaros da floresta amazônica e sem qualquer cor que chame atenção. Comparado ao esplendor dos papagaios, tucanos e araras pode ser considerado até feio. Mas em compensação, possui um canto incomparável.
Canta apenas quinze dias ao ano, por não menos de cinco minutos.
Seu gorjeio acontece ao alvorecer, quando todos os demais passarinhos ainda estão dormindo.

O canto do irapuru ecoa na mata virgem com um som puro e delicado, como o de uma flauta. Parece ser emitido por uma entidade divina. Quando canta o irapuru, a floresta silencia. Todos calam para reverenciar o mestre, todos seduzidos pela beleza do seu trinado.
Por que o irapuru gorjeia com tanto sentimento ? Os índios tupi-guarani encontraram uma explicação.

Quem tiver o privilégio de ouvir seu canto, jamais o esquecerá.
Existem algumas lendas amazônica sobre o Irapuru.

Uma das narrativas conta que um jovem índio apaixonou-se perdidamente pela esposa do grande cacique da tribo. Incapaz de viver este amor impossível pediu a Tupã para ser transformado em ave para amenizar a sua dor. Desde então passou a cantar à noite uma bela melodia para fazer a sua amada dormir.

O cacique ficou tão fascinado pelo canto que perseguiu o pássaro para prendê-lo. O irapuru voou para a floresta e o cacique, na perseguição, nela se perdeu para sempre.
Todas as noites o Uirapuru voltava para acalentar os sonhos do seu amor, esperando, também, que um dia, a índia pudesse reconhecê-lo e despertá-lo do seu encanto.

A outra narrativa conta que duas índias muito amigas apaixonaram-se pelo mesmo guerreiro da tribo. A história do amor das duas se espalhou pela aldeia, e os mais velhos resolveram perguntar ao índio qual das duas ele amava. Mais que uma resposta, confessou seu amor pelas duas.

Pelas tradições da tribo não era permitido o casamento com as duas índias e, assim, o conselho de anciões da tribo decidiu: “o guerreiro casaria com aquela que primeiro conseguisse flechar um marreco voando”.

O casamento foi realizado. A índia que perdeu foi ficando cada vez mais triste, pois não suportava a impossibilidade de realizar seu grande amor e a saudade da amiga Procurou um lugar distante e começou a chorar. Chorou tanto, que suas lágrimas se transformaram num riacho.

Inconformada com aquela situação implorou a Tupã para ser transformada num pássaro.

Tupã compadecido atendeu-a dizendo: “de hoje e para sempre serás o irapuru. Terás um canto tão lindo e harmonioso que te livrarás de teu sofrimento.





30 comentários:

Silvana Mello disse...

Que delícia poder acordar e ouvir esse som maravilhoso logo cedo! Adorei a história. bjusss

ROSA GLACE disse...

Linda narrativa e lindo o canto dessa ave.bjs.

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

Oi Silvana, muito obrigado também!

Agora sou eu que a visito novamente

:*

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

Nosss, que história fascinante...

então o Irapuru é feinho mas canta bem, isso que importa!
Gostei da história, o cacique queria prender o tadinho...

e vc colocou até mesmo o video com o seu som... ouvi-lo de noite deve ser muito gostoso!

Layla Barlavento disse...

É um canto mágico. Arrepia a alma!

Bom final de semana
Beijos na alma!
Layla BArlavento
http://culpadowalter.blogspot.com

Artes da Marga disse...

Oi Silvana!
Como gosto não se discute eu particularmente o achei lindinho rsrsrsr Realmente é de silenciar qualquer burburinho ao ouvir esse canto. Estudei sobre ele ainda na minha infância e nunca me esqueci desse canto raro de se ouvir. A natureza é bela e só o "homem" é que não se dá conta disso. Concordo que quando ele pescar o último peixe e derrubar a última árvore, aí sim ele perceberá que não se come dinheiro.
Bjs e bom final de semana.
Margarida

Ana Filipa Oliveira disse...

Fiquei encantada com as palavras e imagens desta blog. Por ser tão extenso e tão rico, não se lê em minutos. É uma página para se explorar, para se ir lendo como um livro... conforme o tempo e o apetite. Até breve!

Doces Abobrinhas da Roberta disse...

tenho filhos pequenos e tbem me preocupo muito com a educação deles! e admiro pessoas como vc!

um bj e bom fim de semana!

Ribamar Filho disse...

muito bom o seu trabalho ! nós da escola polivalente estamos parabeenizando voce e agradecendo por estar oferecendo um material riquisssimo para nossos alunos ter a oportunidade de ler e interpretar textos maravilhosos ! conte conosco !

Paola Graziella disse...

Obrigada pela visita em meu blog!
Parabéns pelo seu trabalho!

Paola
agradavel.blogspot.com

manuel marques disse...

Mais um conto de encantar.
Bom fim de semana querida amiga.

beijo.

Srta.Formiga disse...

Silvana, gostei muito da sua proposta!
Conte comigo!
...mas me deu uma curiosidade de ver onde vc mora...rs
Abrç


http://olhardeformiguinha.blogspot.com/

alegria de viver disse...

Olá querida
É lindo o canto do irapuru, tão suave.
A historia é mágica.
Com muito carinho BJS.

Fabiano Mayrink disse...

Silvana desculpe a demora em te responder, eu ja conhecia o teu canto, ele é especial assim como voce, pois me parece ter um amor enorme pelo o que faz e pelos nativos brasileiros os indigenas, com suas palavras deixadas la no meu canto, fiquei imaginando onde sera que voce vive, deve ser em uma mata linda! eu vou te adicionar na minha lista ao redor do mundo, um abraço!

Andorinha em Canchungo disse...

Cara Professora Silvana Nunes
Continuarei a seguir o seu blog e desejo toda a sorte para a sua realização profissional, como merece.
Espero que continuemos em contacto e se necessitar de alguma coisa – de Portugal ou Guiné-Bissau – reclame disponha!
António
www.andorinhaemcanchungo.blogspot.com

Maria do Rocio disse...

Olá Silvana,
Boas coincidências, fiquei encantada, quero dizer que também fiz uma postagem sobre Uirapuru, na versão do Maestro Waldemar Henrique, em meu outro Blog com o título "Lendas Paraenses", este blog foi produzido com uma de minhas turmas de Pedagogia, o link é http://literagindo-paraoara.blogspot.com/2009_05_01_archive.html. Com certeza temos mais em comum, pois, também vim de um lugar ladeado de Mata Atlântica, ares, cantares e ouvires paranaenses.
Abraços!
Maria do Rocio

piedadevieira disse...

Essa foi uma das lendas que li na minha infância. Adorei relê-la.
Beijos

Roberta Dumiense disse...

Como é maravilhoso o seu trabalho! Parabéns, Silvana por compartilhar suas pesquisas. Que som encantador do Irapuru:-) Beijos.

Maria Marlene disse...

Oi linda! Que maravilha! Achei as histórias fantásticas, os poemas, enfim tudo! Natureza...nosso povo... nossa gente... Brasiiilll! Vc é o máximo! Tô te seguindo e me visite mais vezes! Um grande abraço e volto já! bjoooss!

Lola disse...

Olá,

Vim retribuir sua visita e amei "sua casa"!

Já conhecia essa lenda e também uma música que fala do canto do Irapuru, acho lindo...

Se precisar, estarei por aqui.

Beijo e continue seu trabalho!

Daniel Savio disse...

Interessante, mas para tu, qual é mais romantica desta duas lendas para o Irapuru?

Fique com Deus, menina Silvana.
Um abraço.

fénix renascida disse...

Feliz daquele(a) que vive em comunhão com a natureza! Porque:

"A natureza não faz nada em vão" Aristóteles

"A natureza tem para tudo o seu objectivo" Aristóteles

Assim:

"Vive em harmonia com a natureza, e nunca serás pobre. Vive em harmonia com as opiniões, e nunca serás rico" Séneca

"Para dar ordens à natureza é preciso saber obedecer-lhe" Francis Bacon

Sena do Aragão disse...

Linda história.
Ouvi essa no meu tempo de escola primária. Lembro até hoje.
Ótimo fim de semana!
Beijos!

ღ SOL ღ disse...

Olá, Silvana tudo bem?
Bonita história...e também o canto do uirapuru...gostei do vídeo...com vários passarinhos... Fiz um post de selinhos. Tem um selinho para você, no meu cantinho. Beijos

Georgia disse...

Sensacional. Lindo o seu blog, parabéns!

Bjao

Melissa Martins disse...

Nossa, como você escreve bem!
Gostei muito daqui! Vou incluir no meu roll.
Grande abraço!

Na. disse...

Que lindo o canto do Irapuru.
Essas lendas são lindas, pena que sempre envolvem um sofrimento!

Xerus
=***

Bordados e Retalhos disse...

Silvana convido vc a visitar http://cantodecontarcontos.blogspot.com/2009/11/o-reloginho-de-giovana-valfre.html

A Cris tá fazendo um ano de blo e publicando contos e textos do amigos. O meu foi o primeiro e está disponível hoje. Adorei a história de hoje., Esse cantinho é tudo de bom. Bjs

Anônimo disse...

Silvana, estou encantada com o seu blog. Fico muito feliz quando encontro blogs de qualidade como o seu. Com certeza irei visitá-lo diversas vezes, pois esse é um espaço de grande valor cultural. Parabéns!!!!

Lidia Ferreira disse...

Linda historia amiga , muito linda mesmo
bjs