domingo, 15 de novembro de 2009

SERÁ QUE FOI MESMO O BENEDITO ?

Agorinha mesmo estava reescrevendo sobre São Benedito, quando me veio à cabeça aquela expressão de cunho popular: "Será o Benedito?".
Você sabe de onde ela vem ? 
Posso adiantar que não trem nada a ver com o pobre do santo.

Então vamos lá, foi assim que eu ouvi dizer...

É só fazer uma travessura e lá vem a vó com aquela cara que mistura decepção e impaciência: "mas será o Benedito?" Como muita coisa na língua portuguesa, a origem dessa expressão tem inúmeras versões, todas de difícil comprovação em registros formais - jornais da época, livros ou outras formas de comunicação escrita -, explica o professor de português Ari Riboldi, autor de três livros sobre a origem das palavras e expressões.
A versão mais aceita é a de que a pergunta teria surgido na década de 1930, em Minas Gerais. O então presidente Getúlio Vargas demorava muito para nomear um interventor para aquele Estado. 
Naturalmente, a demora gerou inquietação entre os inimigos políticos de um dos candidatos ao posto, cujo nome era Benedito Valadares, que perguntavam
-"Será o Benedito?".

Pois foi. Valadares foi nomeado interventor em 12 de dezembro de 1933 e, nos meios políticos da época, foi tão conhecido quanto sua expressão é entre os falantes.
Era considerado uma raposa, cuja esperteza, descreveu em suas memórias, só era superada pelo próprio Getúlio.
Uma variação da expressão é ainda mais curiosa: 
- "Será o pé do Benedito?" 
O professor Riboldi, porém, desiste:
- Se não há comprovação total da história de que Benedito era o governador Valadares, como saber de quem era esse pé?

18 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Olá
Estes dias estive pensando exatamente sobre essa expressão. Me lembrei das inúmeras vezes que minha mãe me chamava a atenção com essa frase:
Mas será o Benedito?
E me lembro ainda que alguém um dia remendou a bronca:
Será o Benedito ou o irmão dele.
Coisas que eu ouvi dizer.
beijo

Bárbara disse...

kkkk Realmente não dá para saber de quem é esse pé quem sabe não possamos tirar uma empressão digital? kkkk
Beijos!

Alexandra disse...

Olá, Silvana. Fiquei muito contente com tua visita no meu Blog "Lendo, vivendo, aprendendo". Me identifiquei com tuas colocações no comentário que deixaste na minha postagem. Sou professora, gaúcha da cidade de Novo Hamburgo, atualmente cursando Artes Visuais pela UFRGS.
Teu Blog é lindo, recheado de riquezas... Parabéns!
Beijos...
Alexandra

Daniel Savio disse...

Hua, kkk, ha, ha, temos cada expressão, "como cor de burro quando foge" (senão me engano), tudo ao se ouvir e passando a expressão a frente...

Fique com Deus, menina Silvana.
Um abraço.

Mimirabolante disse...

Adoro esta expressão e tenho o hábito de usa-la.....ainda por cima,o faxineiro do meu edifício se chama Benedito.....aí é que uso mais ainda.....mt engraçada a história.....bjcas

heli disse...

Silvana.
Hoje vim visitar seu blog e adorei a sua postagem.
Confesso que ri sozinha aqui em frente a tela do computador lembrando das inúmeras vezes que a minha mãe usava essa expressão quando eu fazia alguma arte.ehehehe, te garanto que ela falava muitas vezes!!!
Parabéns pelo blog, ele está muito lindo e com um conteúdo muito bom!!
saudaçoes florestais
heli

DESASSOSSEGADA disse...

Ola Silvana estou passando para agradecer e retribuir a visita e o comentario em meu blog fiquei super feliz, volte sempre que quiser sera muito bem vinda.

Bjos

PS: Estou linkando seu blog nos meus favoritos espero não ter problema.

ﻝefferson de anglesoratђ disse...

oi, boa noite!!!
po muito obrigado pelo comentário
lá no meu Blog.
fico contente que ainda existam pessoas com alguma esperança nas crianças, coisa que já nem tenho mais.
o Rio de janeiro anda muito estranho e as pessoas da minha idade andam piores que nunca;
mas eu vou fazendo a minha parte.

ahhh eu também tenho problemas com a claridade do monitor,
por isso que o meu blog é todo preto rsrsrs.

um abraço
e saudações florestais também!!!

http://blogjdas.blogspot.com/

Fatima disse...

Olha,
vô fala uma coisa pro cê, "Misgerais" tem história né!
bjs.

Anônimo disse...

Olá Silvana

Muito grata por ter visitado meu blog. Sou apaixonada pela cultura popular e achei teu blog uma graça. Gratifica-me saber que estamos em sintonia... "Será que foi o Benedito???" Aqui no Nordeste a riqueza cultural é coisa de louco...

Um abraço nordestinamente paraibano.
Divanira Arcoverde

Luciana Casado disse...

Oi Silvana!!
Adorei conhecer mais sobre expressão!! Pq já nascemos falando ela e nem sabemos de onde ela veio e o seu significado inicial!
Parabéns de novo!
Bjus, Lu

Estrela disse...

Há tantas perguntas que envolvem o pobre Benedito que é melhor nem fazê-las.kkkkkkk
tchau!

railer disse...

não conhecia. valeu!

Anabela disse...

engraçado!Nunca ouvi essa expressão por aqui...,temos parecidas,mas nunca ouvi essa,bjs

Nárriman Alcure disse...

KKKKKKKKKKKK...muito legal, eu uso essa expressão "direto e reto"..KKKK.
BJS

Flora Maria disse...

Muito bom, Silvana !

Cresci ouvindo essa expressão, e sempre ficava curiosa sobre sua origem.
Gosto muito desses termos que vão passando de avó-para-neto, e existem vários na minha família.
Tempos atrás minha sobrinha, carioca, mas morando em Aracaju desde bem jovem, contou-me que os amigos estranhavam seu hábito de dizer "sangria desatada", e lembrei que meus pais e avós falavam muito isso, mas eu não mantive o hábito, coisa que minha irmã conservou e passou para as filhas.
Voltando ao Benedito, por falta de comprovação oficial, ficamos com a história do Governador Valadares.

Beijo, e obrigada pelas ótimas postagens.

ADiniz disse...

Ola Silvana!

Acredito nesta possibilidade da expressão ter surgido daí, mas claro que com aquele ar de contrariedade...
“Hummm, mas será o Benedito”

Muito boa essa, gosto tbm de dar uma pesquisada pela as origens da palavras, que por xs ela se torna mais interessante do que propriamente a palavra.
Quer uma pra sua coleção, a tia Rita Lee adorou esta quando esteve por aqui, e isso tem tempo.
Ela procurava um tênis quando achou o que lhe agradava, disse apenas que ele estava muito justo em seu pé, uma do fã clube a acompanhava respondeu,
“Que nada logo ele vai dar de si”
Ela caiu pra trás de tanto rir, claro ninguém compreendeu por qual razão toda aquela risada, pois isto é tão comum a nós gaúchos.
Ehhh mundão que é este Brasil !

Bjinhos

Silvana disse...

Oi Silvana!
Será do Benedito? (o pé) hehe...amei saber pelo menos uma das congeturações de onde vem essa frase que a gente tanto usa não é...também já ouvi dizer se é do Benedito ou do irmão dele....rsrs...!
Beijinhos!
Silvana