sábado, 23 de janeiro de 2010

A LENDÁRIA POROROCA.

A palavra Pororoca é de origem indígena (tupi) e significa estrondo (forte barulho da natureza).
É um fenômeno natural que ocorre quando há o encontro entre as águas de um grande rio com as águas do oceano.
No Brasil, a Pororoca mais importante ocorre na Amazônia, quando as águas do rio Amazonas se  encontram com as águas do Oceano Atlântico na foz deste rio. Nesse momento ocorre um forte barulho e a força do fenômeno provoca a derrubada de árvores e alterações nas margens do rio, formando ondas gigantescas que podem atingir até 3m de altura e velocidade de até 20km/h.
 Os índios do baixo Amazonas têm uma boa palavra para definir este encontro das águas: poroc-poroc (significa destruidor).
Embora a Pororoca Amazônica seja a mais importante do mundo, ela também ocorre em outras regiões do planeta, como  nos rios Sena (França), Iang-Tsé (China), Colorado (Estados Unidos) e Tamisa (Inglaterra).

Sobre este interessante  fenômenos das águas, a população ribeirinha local nos conta algumas histórias trazidas de seus antepassados.
Esta eu achei bastante interessante...

Antigamente as águas do rio eram serenas, corriam de mansinho, e as canoas podiam navegar sem qualquer sombra de perigo. Nessa época, a Mãe d’Água ( mulher do boto Tucuxi ) morava com a filha mais velha na ilha de Marajó. Certa noite, eles ouviram gritos seguidos de latidos de cães - tinham roubado Jacy, a canoa de estimação da família. Foi uma correria: remexe, procura ...   e nada encontraram. Furiosa, a Mãe d’Água resolveu convocar todos os seus filhos: o Repiquete, a Correnteza, o Rebujo, o Remanso, a Vazante, a Enchente, a Preamar, a Reponta, a Maré Morta e a Maré Viva,  queria que eles achassem a embarcação desaparecida a qualquer preço.
Porém, anos se passaram e de nada conseguiram encontrar: continuavam sem notícias de Jacy. Ninguém jamais a viu deslizando nas águas do rio amazonas ou entrando em algum igarapé, furo ou mesmo amarrada em algum lugar. Certamente estava escondida, mas onde?
Inconformada e na tentativa de solucionar o mistério, a Mãe d'Água resolveu apelar para seus parentes mais distantes - os Lagos, as Lagoas, os Igarapés,os  Rios, as Baías, os Sangradouros, as Enseadas, as Angras,as  Fontes, os Golfos,os  Canais, os Estreitos, os Córregos e Peraus - e  discutir o caso. De comum acordo, resolveram criar a Pororoca (umas três ou quatro ondas fortes que entrassem em todos os buracos dos arrebaldes e quebrassem, derrubassem, escangalhassem, destruíssem tudo e apanhassem Jacy e o ladrão).
Ficou ainda determinado que a caçula da Mãe D´Água - Maré da Lua - moça danada, namoradeira, dançadeira e briguenta, avisaria sobre qualquer coisa que acontecesse de anormal. E foi assim que pela primeira vez surgiu em alguns lugares o fenômeno empurrado pela jovem moça, naufragando barcos, repartindo ilhas, ameaçando palhoças, derrubando árvores, abrindo furos, amedrontando pescadores.
 Até hoje, sempre que Maré da Lua vai ver a família é um deus nos acuda!
Ninguém nunca soube de Jacy, mas a  Pororoca segue em frente destruindo quem ousar a ficar no caminho, cumprindo ordens do boto Tucuxi que resmungando, diz:

- Pois então, continue arrasando tudo.


Desconheço a origem das fotos postadas acima.

41 comentários:

viver sem pensar no amanhã disse...

Oi Silvana, li a Lenda da Pororoca é fascinante! Amo lendas, histórias me dão asas, faz a gente entender a vida, o passado, o presente. Amo escrever, ler, viajo por caminhos desconhecidos. Vivo aqui nessa cidadezinha onde a política fala mais alto,aqui o que vale é ter influência, os coronéis ainda estão em alta.Em suma as pessoas estão esquecendo de sonhar,de apostar no outro. Juntas vamos mudar o mundo, o homem. É preciso urgente fazer brotar em cada Ser um novo olhar de ver, de sentir a vida! Abraços!

catwoman disse...

É engraçado, como através das tuas lendas, maravilhosas sempre, vou aprendendo mais um pedaço da vida do Brasil, para nós aqui tão longe, as únicas coisas que nos chegam são as novelas(que eu não vejo), as imagens paradisíacas, as notícias das favelas e o diz-que-disse sobre os artistas, o último acerca de Maitê Proença que passou da fase de chegar cá e dizer "eu adoro este país, as pessoas são tão acolhedoras", para ir dizer mal de todos aí na televisão brasileira, português que se preza, não gostou porque gente dada a vedeta já cá temos muitos não precisamos de pedir emprestado... e no comentário anterior a esta sua bela lenda, vejo que ainda existe por aí a influência dos coronéis, que eu pensava já só existirem nos livros de Jorge Amado. Bem como eu costumo dizer: em algumas coisas, infelizmente, as suas obras continuam muito actuais.
Bjs.

BANDEIRAS disse...

Oi,

Belo blog, bela lenda.

Apareça qdo quiser , obrigada pela visita.

Bjs

Carla disse...

Olá, é sempre um prazer visitar o seu blogue tão especial.
Deixei um prémio no meu tatuagens, espero que aceite o desafio.
Bjs deste lado

Ana Isabel disse...

Enriqueço sempre que leio as suas histórias..juntamente com o Repiquete, a Correnteza e todos os outros, também eu procurei Jacy..


Deixo um abraço.

Gestar II - Monte Negro/RO disse...

Olá! Que haja 2010 razões para ser feliz e ter muito sucesso, algo que você conquistou com seu blog, que a cada publicação fica mais atraente... Muita paz, um abraço blogueiro, Antonia Vezzaro.

Lice Soares disse...

Obrigada. Sempre que venho aqui, retorno cheia de sabedoria e encantamento. Revivo as minhas raízes, aprendo a conhecer melhor a alma do meu país e isto é bom.
Bjs no coração.

Sônia Silvino disse...

Fadinha!
É incrível a natureza!
Bom domingo!
Bjkas!

Rocio Rodi disse...

Oi Silvana!
Respondi ao seu comentário em meu blog, acerca de livros e pelo fato de ser filha de professora e ter que se submeter às exigências de excelência.
Gosto muito de conversar sobre o fenômeno da pororoca, tem até um curta feito aqui em Belém sobre o assunto (A festa da pororoca) que encantou bastante as crianças da educação infantil e dos ciclos iniciais.
Gosto muito de sua predisposição para estudar a cultura brasileira e suas polifonias.
Abraços!
Maria do Rocio

REGINA GOULART SANTOS disse...

Oi Silvana, é fascinante a história da lenda da Pororoca.
Você está sempre se superando a cada dia.
Suas postagens estão cada vez mais interessantes, e repletas de importantes conhecimentos.
Suas fotos são um espetáculo à parte.
Obrigada por sua visita.
Um bom domingo, de paz e harmonia para ti.

Muitos beijos

Amapola disse...

Muito bonita, a lenda.
É gostoso aprender, e você ama ensinar.
Muito obrigada.
Bom domingo.

legivel disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Dom Quixote (Thomaz) disse...

Muito interessante a história da pororoca. E voc~e tem um jeito especial de contar as histórias, que prende a atenção. Amei! Ah! Você que gosta de cultura popular como eu, não pode perder o documentário sobre Paulinho da Viola em nosso blog. Imperdível!

Beta de Santana disse...

Olá Silvana!
Os fenomenos da natureza são incriveis! Já ouvi falar muito do fenomeno POROROCA, e vi somente por matérias da Tv, mas já dá pra se ter noção!!
Que seu dia seja de paz e luz.
Beijokas, Beta de Santana

Claudia Bins (Cacau) disse...

Que beleza, mais uma aula de cultura brasileira genuína. É um prazer ler o que você escreve!

Abraço,

Cacau

Sonia Schmorantz disse...

Esta é uma das primeiras lendas da amazonia que conheci na escola, adorava ler.
beijos, linda semana

Juliana Dias disse...

Uma das mais incríveis artes da natureza!

Sou de Belém, mas moro no Rio. Seu blog me faz lembra da minha terra..rsrs...

Grande beijo!

Elizabeth disse...

Olá Silvana,
Tenha um lindo domingo.
Beijinhos.

Luisa Moreira disse...

Silvana,

Já tinha ouvido falar em, Pororoca, e não sabia o que era. Assim, aprendi algo, na leitura de mais uma lenda, fantástica.

Abraços

Luisa

Rui da Bica disse...

Olá Silvana.
Sempre que se passa por aqui sai-se "mais rico".
Eu continuo a reconhecer a minha ignorância: nunca tinha ouvido falar em Pororoca e muito menos no que isso era.
Em cada visita se aprende alguma coisa enriquecedora !
Obrigado, Silvana.
.

Nika disse...

Obrigado pelo seu comentário no meu blog
Me desculpe, eu não falam Português, eu escrevo com o Google Translate
kisss
xoxo

manuel marques disse...

Passei para lhe desejar uma semana feliz.

Beijos.

Barbara disse...

Quer saber ?
Sèriamente creio.
Tudo é força.
Você enriquece a quem te lê.

Cris disse...

oi linda, um bom domingo para vc tb :) fiquei muito feliz com o seu recadinho flor :)

chÊrinho :*

M. disse...

Mais um tema fascinante.


Tens um presente no meu blog. :)

AROMA INGÁ - Dani Grossi disse...

Olá, Silvana!
Gostei muito da sua visita e mais ainda do previlégio de ter uma pessoa como vc, como minha seguidora! Adorei o seu blog, estarei sempre por aqui! E tenho prazer em segui-lo!
Bjinhusssssss

Fernanda disse...

Olá Silvana,

Muito interessante, não sabia da parte real dessa lenda.
Obrigada pela licção.
Quanto à lenda, como sempre fascinante.
Linda.
Adorei!

Beijinhos

FOTOS-SUSY disse...

OLA SILVANA, BELISSIMA LENDA...GOSTEI IMENSO...VOTOS DE UMA BOA SEMANA!!!
BEIJOS COM AMIZADE,


SUSY

alegria de viver disse...

Olá querida
A visão é maravilhosa, a força da agua.
Com muito carinho BJS.

Virgínia Allan disse...

Quem sabe Jacy, a canoa, ficou escondida no céu em forma de lua. A meia-lua que vemos no céu é a canoa roubada da mãe d'água. Linda essa história, eu que moro no coração da Amazônia e que gosto de pesquisar e recontar suas lendas, nunca ouvi esta... que bom que existe sue blog. Beijo

EdiArt disse...

Agradeço a visita ao meu blog, estou encantada com sua pesquisa, uma riqueza em detalhes e imagens o seu blog é de um beleza que não tem palavras para expressar, parabéns e muito sucesso!! Beijos!!!

Luísa N. disse...

Sim, Silvana, Saudações Florestais!
Seu blog é um achado! Ouro no meio de pedras e areia! Só mesmo um blog assim para me tirar de minhas férias da Internet. Já estou lhe seguindo...
Obrigada por resgatar nossa cultura popular, amiga - se é amiga da Mãe-natureza é também minha amiga!
Um abraço no coração!
Luísa

Janinha disse...

Um dos lugares q eu sonho em conhecer adorei...

bjus boa semana

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

É um lindo fenômeno.Beijos
////
Atenção: Você foi citado(a) no meu blog e tem direito de resposta

Rodrigues Bomfim disse...

Olá Silvana!
Aprendi mais um fato interessante do nosso rico folcore..parabéns por suas postagens de relevância cultural..nota 10!!

Abraços e boa semana

Amapola disse...

BOM DIA!...

suzanne disse...

Silvana...
te conheci através de seu comentário no meu blog, o enkuantopenso; agradeço imensamente, pois teria levado mais tempo para conhecê-la...
temos muitas coisas em comum, como a profissão, os interesses, diversidade, cultura popular...
desejo que seu trabalho e tudo o que fazseja cada vez mais difundido e admirado!!!

abraços

suzanne

Estrela disse...

Bom dia,amiga!
Quanto divago quando venho aqui...
Escreva sempre querida!
Obrigada pela visita e pela dica.
Beijos!

Vitor Chuva disse...

Olá Silvana!
Mai uma linda história dando-nos conta da forma como as populações desconhecendo a explicação para aquilo que à sua volta ocorria criavam a sua própria, baseada nas suas crenças e fantasias.
Se olharmos bem, a humanidade começou assim - foi/é assim em todo o lado - quando não tinha conhecimento para interpretar o comportamento da Natureza; era o tempo da mitologia, que só mais tarde a ciência viria a destronar, mas que, felizmente, não nos roubou as bonitas lendas que então povoavam a imaginação desses povos.
E a Silvana dá um bonito contributo para que se não percam.
Parabéns!

Boa semana.
Beijinhos.
Vitor

Michele disse...

Participe da PROMOÇÃO "O Albatroz Azul", uma parceria dos blogs Compartilhando Leituras e Amante dos Livros e Afins. ACESSE JÁ amantedoslivroseafins.blogspot.com e PARTICIPE DESSA PROMOÇÃO IMPERDÍVEL!

Daniel Savio disse...

Eu sei que nunca quero encontra um pororoca pela frente...

Nota que tem doido que surfou nela (já faz algum tempo).

Fique com Deus, menina Silvana.
Um abraço.