sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O GUARANÁ.

TOADA:


Os Pajés arrancaram e plantaram os olhos do Curumim morto. E durante quatro luas os guardas da preciosa sementeira, velaram e regaram a terra com lágrimas. Uma nova planta surgiu, travessa como os Curumins, procurando subir nas árvores próximas, das hastes escuras e sulcadas, como os músculos dos guerreiros. E quando frutificou, seus frutos de negro azeviche envoltos no aro branco e embutidos em duas cápsulas vermelho-vivo, eram sem dúvida, a multiplicação milagrosa dos olhos do pequeno Príncipe Maué.


A nova planta trouxe realmente progresso para a tribo pelo abundante comércio de seus grãos. E os sábios confirmaram a lenda: o guaraná, como foi chamado, fortalece os fracos, conserva o jovem e rejuvenesce o velho.
........................................

A LENDA:

Um casal de índios pertencentes a tribo Maués, viviam juntos por muitos anos sem ter filhos, mas desejavam muito serem agraciados com um curumim. Um dia os dois pediram a Tupã para dar a eles uma criança afim de completar aquela felicidade. Tupã, o rei dos deuses, sabendo que o casal era cheio de bondade no coração,  atendeu-lhes o desejo trazendo um lindo menino.

O tempo passou rapidamente e o menino cresceu bonito, generoso e bom. No entanto, Jurupari, o deus da escuridão, sentia uma extrema inveja do menino e da paz e felicidade que ele transmitia, e decidiu ceifar aquela vida em flor.

Numa bela manhã de sol. o menino foi coletar frutos na floresta e Jurupari  aproveitando-se da ocasião, lançou a sua vingança. Ele se transformou em uma serpente venenosa e mordeu a criança, matando-o instantaneamente.

A triste notícia se espalhou rapidamente. Neste momento, trovões ecoaram e fortes relâmpagos caíram pela aldeia. A mãe, que chorava em desespero, entendeu que os trovões eram uma mensagem de Tupã, dizendo que ela deveria plantar os olhos da criança e que deles uma nova planta cresceria dando saborosos frutos.

Os índios obedeceram aos pedidos da mãe e plantaram os olhos do menino. Neste lugar cresceu o guaraná, cujas sementes são negras, cada uma com um arilo em seu redor, imitando os olhos humanos.

( Fonte de Pesquisa: Festa de Parintins.)

10 comentários:

neide disse...

KKK, Também não quero minha querida vim como homem, foi só uma brincadeirinha. Adoro ser mulher e se tiver reincarnação quero vir mulher de novo, de novo e sempre, mesmo com todos esses fardos que nos foi imposto temos nossos encantos e sabemos superá-los todos que vierem.

Bjss Silvana e tenha um lindo final de semana.

neide disse...

rsrsr, desculpe, vi agora....

" Saberemos superá-los todos que vierem" .

As vezes me empolgo, rsrsr

Bjsss

Paulo Bono disse...

muito bacana, esse lance das lendas. bacana mesmo.

abraço

angela disse...

Silvana
Uma bonita lenda esta do guaraná e você sabe conta-la muito bem.
beijos

Daniel Savio disse...

É massa esta lenda...

Sobre o meu cachorro, ele já veio com este nome, sendo que a gente daqui em casa não tem um time que torça.

Mas ele é sem raça.

Fique com Deus, menina Silvana.
Um abraço.

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA SILVANA, QUE BELA POSTAGEM AMIGA... É UM REGALO PARA A NOSSA MENTE LER-TE!!!
ADOREIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII... ABRAÇO-TE COM MUITO CARINHO,

FERNANDINHA

Maria Anjos Varanda disse...

Muito interessante a lenda...
E o fruto é tão bom......

Beijos e bom fim de semana

Dulce Braga disse...

Silvana
Bárbara esta lenda!
A partir de hj, farei uma reverencia ao guaraná antes de ingeri-lo.

Anabela disse...

impressionante esta historia!este fruto é o da bebida guarana?

Chica disse...

Linda essa lenada,Silvana! um beijo e uma linda emana,chica