terça-feira, 29 de setembro de 2009

O GUERREIRO DO MONTE RORAIMA.




Nas terras de Roraima havia uma montanha muito alta, onde um lago cristalino era expectador do triste amor entre o Sol e a Lua. Por motivos óbvios, nunca os dois apaixonados conseguiam se encontrar para vivenciar aquele amor. 
Quando o Sol subia no horizonte, a lua já descia para se pôr. E vice-versa. Por milhões e milhões de anos foi assim. 
Até que um dia, a natureza preparou um eclipse para que os dois finalmente se encontrassem. O plano deu certo. A Lua e o Sol se cruzaram no céu. As franjas de luz do sol ao redor da lua se espelharam nas águas do lago cristalino da montanha e fecundaram suas águas fazendo nascer Macunaíma, o alegre curumim do Monte Roraima.


Com o passar do tempo, Macunaíma cresceu e se transformou num guerreiro entre os índios Macuxi. Bem próximo do Monte Roraima havia uma árvore chamada de "Árvore de Todos os Frutos" porque dela brotavam ao mesmo tempo bananas, abacaxis, tucumãs, açaís e todas as outras deliciosas frutas que existem. Apenas Macunaíma tinha autoridade para colher as frutas e dividi-las entre os seus de forma igualitária.

Mas nem tudo poderia ser tão perfeito. Passadas algumas luas, a ambição e a inveja tomariam conta de alguns corações na tribo. Alguns índios mais afoitos subiram na árvore, derrubaram-lhe todos os frutos e quebraram vários galhos para plantar e fazer nascer mais árvores iguais àquela.

A grande "Árvore de Todos os Frutos" morreu e Macunaíma foi obrigado a castigar os culpados. O herói lançou fogo sobre toda a floresta e fez com que as árvores virassem pedra. A tribo entrou em caos e seus habitantes tiveram que fugir. 
Eu soube que até hoje, o espírito de Macunaíma vive no Monte Roraima a chorar pela morte da "Árvore de todos os frutos".

Saudações Florestais !

22 comentários:

Anabela disse...

é tipico do povo mexer onde não deve,tiveram a paga deles,pena que os de agora não a tenham nao é verdade?

Daniel Savio disse...

Bonito o conto, apesar de triste...

Fique com Deus, menina Silvana.
Um abraço.

Anabela disse...

tou triste!A menina ainda nao foi ver o meu passeio?

Everson Russo disse...

Belissimo conto folclorico, belissima colocação dos desencontros de amor entre sol e lua...é bem assim na vida da gente.

Fatima disse...

Oi Silvana!
Vim agradecer sua visita lá no Aventurinhando e mais ainda por vc aceitar acompanhar nosso blog.
Minha filha indicou seu blog lá no colégio dela.
Bjs.ns

neide disse...

Isso de mexer com que não deve é bem típico do ser humano mesmo.
Todo encontro de amor é sempre lindo, não é? E um eclipse também seus encantos.

Adoro te ler mas, meu tempo anda curtinho...

Boa semana querida.

Bjsss

Gilson disse...

Silvana

Obrigado pela visita, volte sempre. Seu Blog é um show de cultura brasileira, com certeza ficarei por aqui.

Abraços

magna disse...

olá silvana...amei o conto,essas histórias nos fazen viajar e amei.
parabéns pelo blog é maravilhoso!
saudações florestais!
bjussss

Gina disse...

Já conhecia essa lenda, interessante.
Bjs.

Andrea disse...

Alice, primeiro quero agradecer sua visita em meu blog ,estou aqui apaixonada lendo seus posts e sentindo a grandiosidade de cada um deles, a natureza e imagens que nos fazem viajar,Cultura para muitos!Obrigada por dividir todas estas maravilhas conosco.

Um grande bjo pra ti...:)

P.S:- Tua família é linda...:)

welze disse...

Olá Silvana, agradeço demais sua visita e vim retribuí-la. Mas não esperava me entreter tanto. Seu blog é um absurdo de lindo. Um dos mais incríveis que conheço. É uma honra contar com sua presença como minha seguidora. Sem rasgação de seda, nem sou disso, já estou com os pés na floresta, a seguir seus passos. Saudações florestais!

FOTOS-SUSY disse...

OLA SILVANA, BELISSIMO CONTO, EMBORA ESTE UM POUCO TRISTE...GOSTEI MUITO AMIGA...VOTOS DE UMA BOA TARDE!!!
BEIJO DE CARINHO,


SUSY

Abobrinhas na Cozinha disse...

Oi Silvana!
Obrigada pela visita lá no meu blog!! Volte sempre que quiser! :)
Adorei seu cantinho também! Lindo esse conto!!
Passarei sempre por aqui!
Beijão!
Thais

Desabafando disse...

obrigada pela visita...volte sempre!

Fernando Martins disse...

Gostei muito de ver o teu blogue... Tem muito que ler e ver. Cor, alegria, histórias, saberes e ideias. Falta conhecer os sabores desses espaços maravilhosos que reflectes aqui...
Visita também o meu www.pela-positiva.blogspot.com

Cumprimentos deste meu recanto à beira-mar plantado, como dizia Camões

Fernando Martins

Zininha disse...

Gosto de lendas, histórias que o povo conta...curiosidades... e ouvi dizer...

Adorei este seu espaço...
Adorei sua visita... vou te favoritar, e te seguir...
Volte sempre... beijos...

Zininha disse...

Ah... gostei muito da história de Macunaína...
só lamento pela floresta...e pela árvore...
imagino a beleza dela, cheinha de frutos...
Agora fuiiii.... beijos...

angela disse...

Tanta história tem Macunaina.
Bonito esse conto.
beijos

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Silvana,
Também gostei muito desse seu blog...
De fato, a ambição de alguns índios, provocou cobiça pelo que não lhes pertencia. É um conto bastante interessante.
Beijos,
Ana Lúcia.

Flora Maria disse...

Obrigada pela visita e comentários aos meus blogs.

Lindamente triste a história de amor do sol com a lua...

Beijo

Luisa Moreira disse...

Venho agradecer a visita ao meu blogue.
Gostei do conto, regressarei outras vezes!

Abraço
Luisa

Teresa disse...

Ola! Silvana
se eu tivesse uma escola, com certeza vc seria o professor contador de histórias, ao transmitir os fatos você faz com que a gente entre no local, espaço, nos sentimentos e até cheiro da mata (o verde e as queimadas) eu consigo sentir.
amiga Parabéns!!! seus alunos devem amar ouvir vc.
bjos no coração,
Teresa Grazioli