quarta-feira, 2 de setembro de 2009

PAIXÃO PELA PALAVRA: MANOEL DE BARROS.


- A NAMORADA-

"Havia um muro alto entre nossas casas.
Difícil de mandar recado para ela.
Não havia e-mail.
O pai era uma onça.
A gente amarrava o bilhete numa pedra presa por
um cordão
E pinchava a pedra no quintal da casa dela.
Se a namorada respondesse pela mesma pedra
Era uma glória!
Mas por vezes o bilhete enganchava nos galhos da goiabeira
E então era agonia.
No tempo do onça era assim".

2 comentários:

jeffcelophane disse...

Olha eu aqui te seguindo e lendo o que voce tem a nos dizer.
Muito bacana estar adentrando seu universo... que pelo jeito é suuuper vasto.

Lari disse...

olhja eu aqui te seguindo ....e adorei , devia ser tão romantico esse tempooo.....
os amores eram marcados por dificuldades e muita paixão .....eu acho que devia ter nascido nesse tempo ....esse tempo me encanta!!!!